Ex-reitor da Ulbra é indiciado por fraude e falsidade ideológica

Ruben Becker é apontado como responsável pelo desvio de mais de R$ 60 milhões da universidade

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

A Polícia Federal indiciou nesta segunda-feira o ex-reitor da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Ruben Becker. Acusado por desvios milionários na instituição, ele foi indiciado após prestar depoimento.

Ruben Eugen Becker já havia sido indiciado em maio do ano passado, no contexto das investigações da Polícia Federal. O ex-reitor, que renunciou ao cargo em abril de 2009, é apontado como um dos líderes de uma quadrilha que desviou quase R$ 60 milhões da instituição.

Segundo a Polícia Federal, o esquema de desvio era feito através da criação de empresas fantasmas que recebiam por consultorias nunca realizadas. A Justiça Federal chegou a penhorar bens do ex-reitor, como apartamentos de luxo e sua coleção de automóveis antigos.

Nesta segunda, a Polícia Federal indiciou Becker por falsidade ideológica e fraude em processo de execução fiscal da União. Durante a gestão do ex-reitor à frente da universidade, ele teria falsificado assinaturas de vendedores de terrenos ofertados à União em execução fiscal, por um valor mais de 30 vezes maior do que a avaliação de mercado.

Batizada de “Kollektor”, a operação da Polícia Federal foi desencadeada em dezembro de 2009. O inquérito policial corre em segredo de Justiça e encontra-se em análise na Delegacia de Crimes Fazendários (Delefaz). Procurado pela reportagem do iG, o delegado Aldro Nei disse que não concederia entrevistas, já que trabalha no indiciamento de outros envolvidos no caso.

Atualmente, a universidade tenta se recuperar do rombo causado pela gestão de Ruben Becker, que deixou uma dívida com a União estimada em R$ 2 bilhões. Na semana passada, a Justiça Federal anunciou a penhora de bens da universidade.

“A Ulbra está aferindo judicialmente os motivos que a originaram, bem como buscando a efetiva responsabilidade daqueles que participaram para a geração destes passivos. Além disso, a instituição está contestando valores que entende desconformes frente ao efetivamente devido”, respondeu a reitoria, em nota oficial.

O ex-reitor Ruben Becker não dá declarações à imprensa. Ele costuma se manifestar por meio de um blog pessoal , onde se diz vítima de um esquema. “Com toda a certeza, o problema não era o pastor Becker. Pois se fosse, com a sua saída, da maneira que o foi, ofendido profundamente em sua dignidade humana, tudo estaria resolvido”, escreveu recentemente o ex-reitor, usando a terceira pessoa.

Procurado pelo iG , o advogado de defesa Geraldo Moreira disse que o ex-reitor se reservou ao direito de ficar calado durante o depoimento nesta segunda, na Polícia Federal. Moreira alega que seu cliente não dá entrevistas porque já "foi julgado e condenado pelo tribunal da mídia". "Foram apurados fatos dos quais o ex-reitor Ruben Becker não tem conhecimento, não participou, não tem qualquer responsabilidade e irá demonstrar isso em juízo", afirmou.

    Leia tudo sobre: ulbrareitorfalsidadebecker

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG