Evento discute ética, negócios e sustentabilidade

O 1º Programa Nacional de Ética nos Negócios para Universitários, realizado hoje, 17 de novembro, em Campinas, colocou em foco temas como a responsabilidade social e o crescimento sustentável, ambos presentes no conceito que a ética engloba. ¿As empresas são obrigadas a devolver à sociedade parte daquilo que a sociedade dá a elas¿, afirmou o fundador e diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios, Douglas Flinto. Ele disse ainda que empresas éticas são naturalmente responsáveis social e ambientalmente, e citou a importância do código de ética no mundo corporativo.

Janaína Gimael, especial para o Ultimo Segundo |

Cesar Conti
Douglas Flinto fala durante o evento
Douglas Flinto fala durante o evento
O evento contou com a participação de representantes de empresas como Bosch, Kraton, ArcelorMittal, entre outras. Para o gerente de relações corporativas da Bosch na América Latina, Carlos Eduardo Abdalla, uma empresa não pode ser socialmente responsável se não tiver ética. Além disso, para atender às necessidades da Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é preciso trabalho em conjunto: governo, empresas e ONGs. Todos funcionam como uma engrenagem para a conquista de um futuro melhor.

Alguns cases apresentados durante o evento mostraram como é possível crescer utilizando a ética como base de desenvolvimento. A Mabe mostrou algumas ações sustentáveis da empresa, entre elas o prêmio Mabe Mulher Cidadã, que visa à premiação de mulheres que praticam ações de cidadania no seu cotidiano. Também citou os produtos ecologicamente corretos fabricados pela companhia. O consumidor está cada vez mais preocupado com o futuro do planeta, afirmou João Sérgio Dias Ramos, diretor de Marketing da Mabe Mercosul.

Outro case do programa foi o da ArcelorMittal. Segundo o gerente geral de comunicação e Relações Institucionais, Robson de Almeida Melo e Silva, a empresa estimula os fornecedores a participarem de projetos éticos, como o que proíbe o uso do trabalho infantil.  Mostrou ainda iniciativas de melhoria de eficiência energética. Na ArcelorMittal Tubarão aproveitamos gases excedentes vendendo energia no mercado atacadista. O gás que seria poluente é limpo e reaproveitado, da mesma forma que 98,12% da água doce que utilizamos, disse, enfatizando que a sustentabilidade deve começar em casa, através das escolhas feitas. As atitudes estão conosco, concluiu.

O evento terminou com a apresentação da Profª Drª Maria José da Costa Oliveira, que tratou da importância da comunicação e da transparência corporativa. Hoje a ausência da responsabilidade social ajuda a destruir a respeitabilidade empresarial, opinou, alegando que a falta de informação  também traz danos à empresa. Neste caso, a máxima o segredo é a alma do negócio não funciona, pois sem divulgação, a alma se perde.

O 1º Programa UniÉtica deve servir de base para uma série de eventos relacionados. Segundo Douglas Flinto, em março de 2009 acontecerá em São Paulo o 1º Congresso Brasileiro de Ética nos Negócios. Queremos que a ética dê a tônica para a sustentabilidade, pois são as atitudes que dão resultado. Queremos ser um ético-chato porque somos todos responsáveis pelo que fazemos, finalizou.

Com reportagem de Andréia Brasil

    Leia tudo sobre: ética

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG