Europeus detectam explosão de 600 milhões de anos após Big Bang

Astrônomos europeus anunciaram a descoberta de um objeto que pode ser o mais antigo do Universo. Uma explosão de raios gama ocorrida há 13.1 bilhões de anos, 600 milhões de anos após o Big Bang.

Apolo11 |

O objeto foi detectado pelo satélite Swift da Nasa no final da semana passada como uma enorme liberação de energia ma constelação de Leão. O telescópio VLT do Observatório Europeu do Sul, no Chile reconfirmou os dados.

As explosões cósmicas de raios gama são os eventos do Universo que mais liberam energia. A estrela que explodiu emitiu em 10 segundos, mais energia do que o Sol produzirá em 10 bilhões de anos de vida.

"É espetacular. Esse anúncio confirma que as explosões de raios gama são fenômenos extraordinários", afirmou o físico Carlos Escobar, da Universidade de Campinas.

Até hoje, o evento explosivo mais antigo detectado era de 740 milhões de anos após o Big Bang. Agora, já é possível comprovar que antes disso havia estrelas e galáxias formadas.

O Big Bang ocorreu há 13.7 bilhões de anos. Nos primórdios do Universo tudo era escuro, sem corpos celestes emitindo luz.

Arte: Concepção artística mostra o poderoso feixe de raios gamma ocorrido 600 milhões de anos após o Big-Bang. Crédito: ESO/VLT.

Leia mais sobre: Big Bang

    Leia tudo sobre: apolo 11big bang

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG