Número é o maior oferecido por um único país ao programa do governo que estimula intercâmbio Ciência sem Fronteiras

selo

A um mês da visita da presidenta Dilma Rousseff aos Estados Unidos , o governo federal conseguiu obter a promessa de que terá 20 mil vagas para estudantes e pesquisadores brasileiros nas universidades americanas nos próximos quatro anos. É a maior quantidade de bolsas oferecida por um único país ao programa Ciência sem Fronteiras, lançado em 2011 pelo governo .

Investimento privado:
Petrobras investirá R$ 320 milhões em bolsas de estudos

Com a viagem marcada para 9 e 10 de abril, Dilma considerava essencial obter um número significativo de vagas para o programa. Queria que os americanos se comprometessem pelo menos com o mesma quantidade oferecida pelos alemães - 10 mil em quatro anos. Obteve o dobro. 

"É para os Estados Unidos que vamos mandar o maior número de estudantes e pesquisadores do programa", afirmou o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp, depois do terceiro encontro da Comissão Mista Brasil-EUA de Cooperação Científica e Tecnológica, no Itamaraty. 

O número representa 20% das vagas que os EUA oferecerão em intercâmbio para a América Latina. "Brasil e EUA têm desafios semelhantes em várias áreas, a cooperação faz muito sentido", disse o conselheiro científico da Casa Branca, John Holdren.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.