O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski concedeu a http://educacao.ig.com.br/us/2010/03/05/estudantes+da+uerj+sao+recebidos+por+ministro+do+stf+9418027.html target=_topestudantes cotistas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) o direito de expor suas experiências ao final da audiência pública sobre cotas realizada pelo STF. Outro estudante, David Kura Minuzzo, de 53 anos, que cursa o 5º semestre de Museologia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e é contra as cotas, também falou aos presentes.

Minuzzo contou que, quando prestou vestibular, a universidade tinha sistema de cotas. Ele poderia ter se inscrito porque estudou a vida toda em escola pública, mas optou por concorrer no sistema universal. "Não achava justo que um aposentado tirasse a vaga de um estudante vindo da escola pública."

Ele afirmou que não foi classificado dentro do sistema universal, mas teria conseguido a aprovação pelo sistema de cotas. Mas, navegando pela rede social Orkut, deparou-se com estudantes que ingressaram na UFRGS por meio de cotas e eram "pessoas viajadas e que tinham boa condição financeira". "Me senti injustiçado e entrei na Justiça para conseguir a vaga", contou.

Minuzzo é contra o sistema de cotas adotado pela UFRGS que considera candidado qualquer estudante de escola pública. Segundo ele, há estudantes de classes sociais elevadas matriculados em colégios federais, que dão direito a participação em cota. "Defendo a mudança de critérios."

O aposentado e estudante faz parte do Movimento contra o Desvirtuamento das Cotas que tem 100 pessoas.

Leia mais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.