Diretório Central da Universidade de Campinas emitiu nota em repúdio a atitude da tropa de choque e da reitoria da USP

O Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Campinas (Unicamp) apoia as manifestações dos colegas da Universidade de São Paulo (USP). O colegiado emitiu nota contra a ação da Tropa de Choque na reintegração de posse da reitoria da USP, contra o reitor da universidade paulistana e contra presença da Polícia Militar em ambas as instituições.

Estudantes da USP param trânsito de São Paulo contra ação da polícia no campus
AE
Estudantes da USP param trânsito de São Paulo contra ação da polícia no campus
"Em Campinas, a reitoria também tem permitido a entrada da Polícia Militar e somos contra", disse a coordenadora do DCE da Unicamp, Diana Nascimento. A nota conjunta dos estudantes com o Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp diz; "A atitude da reitoria da USP, diante da ocupação do seu prédio, é mais uma mostra da falta de vontade política de estabelecer canais de diálogo com a comunidade acadêmica. A própria presença da polícia, cujo efetivo tem circulado com armas próprias para repressão de movimentos sociais (bombas de efeito moral e de gás lacrimogênio), explicita a posição de Rodas e do governo do estado de SP diante dos movimentos sociais. Nos colocamos contrários à criminalização dos movimentos sociais no Brasil que vem ganhando força nos últimos anos, culminando com ameaças de morte, prisões e perseguições a militantes que defendem direitos humanos, educação pública, reforma agrária, entre outros temas fundamentais para a sociedade brasileira."

PM na Unicamp

A Unicamp comemorou este ano uma diminuição no número de ocorrências de violência em seu campus e atribuiu parte do sucesso a presença da polícia. Na vizinha do interior, há vigilância própria que aciona a Polícia Militar sempre que necessário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.