Manifestantes pedem redução das mensalidades. Reitoria afirma não ter recebido pauta de reivindicações

Estudantes da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) invadiram na manhã desta quinta-feira (18) o prédio da reitoria da instituição, em Perdizes, na zona oeste de São Paulo. Os manifestantes ocuparam a sala da reitoria e penduraram uma faixa pedindo a redução das mensalidades.

Estudantes colocaram faixa exigindo a redução de mensalidades
Paulo Alexandre/Futura Press
Estudantes colocaram faixa exigindo a redução de mensalidades
De acordo com a assessoria da PUC-SP, nenhum documento com reivindicações estudantis foi entregue. A reitoria da universidade afirma que prega uma "política de administração com portas abertas", por isso considera que a sede foi ocupada e não invadida.

A estudante do 3º ano de jornalismo Ana Carolina Andrade, de 21 anos, afirma que o movimento estudantil entregou para o Conselho da PUC-SP um abaixo-assinado com 2.200 assinaturas e várias reivindicações. “A principal delas é a redução das mensalidades, mas queremos também a abertura do edital de bolsas da Fundação São Paulo (mantenedora da PUC-SP), a construção de uma creche para os filhos de mães funcionárias e alunas e a redução do preço do bandejão, que está em R$ 8,90, entre outras coisas”, relata.

A Polícia foi ao local; instituição alega não ter solicitado as viaturas
Paulo Alexandre/Futura Press
A Polícia foi ao local; instituição alega não ter solicitado as viaturas
Segundo Ana Carolina, que integra a comissão de comunicação do movimento estudantil, os estudantes decidiram pela ocupação em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira. “Estamos em campanha pela redução das mensalidades desde o começo do ano e percebemos que todas as formas democráticas de negociação com a reitoria se esgotaram”, alega. De acordo com a estudante, os alunos fotografaram a sede da reitoria para evitar “acusações de furto e depredação”.

A Polícia Militar compareceu ao local, mas a PUC-SP afirma que não solicitou as viaturas. A instituição acredita que a vizinhança tenha chamado os policiais por conta da movimentação.

A PUC-SP afirma que irá se manifestar sobre a ocupação estudantil somente após receber uma pauta de reivindicações. Os alunos não têm previsão de quando vão liberar a reitoria e dizem que pretendem ocupar a sala até a direção da instituição reduzir as mensalidades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.