Especial Professor: Professora fala sobre as diferenças entre escolas públicas e particulares

A professora Gizelda Alves da Silva, 27, é docente do Ensino Fundamental em uma escola particular na cidade de Osasco e leciona também para a Educação Infantil em uma escola da prefeitura, na cidade de São Paulo. Amante da arte de ensinar, considera mágico o retorno que tem de seus alunos.

Paula Menezes |

Acordo Ortográfico

Mas nem tudo são flores quando o quesito é qualidade de ensino. Gizelda relata que existe sim uma grande diferença na comparação entre as duas redes ¿ particular e pública . Vejo uma grande diferença no investimento que se tem para a educação em cada uma. Na escola particular que eu trabalho percebo que eles proporcionam de verdade uma qualidade de ensino.

Quando fala em proporcionar qualidade de ensino, a educadora refere-se aos cursos dados aos professores, estrutura física, materiais didáticos, formação dos professores e mesmo a presença de uma equipe pedagógica sólida para acompanhar os projetos dentro da escola . Isso existe na rede particular. No ensino público acredito ter certas deficiências por ser uma rede muito grande, explica.

O que acontece?

Temos uma secretaria da educação com supervisores, mas seus membros não chegam a ter um real contato com o professor. Então, tem-se um planejamento que foi enviado para a secretaria, mas não se tem uma equipe de coordenadores pedagógicos para colocá-lo em prática e acompanhá-lo dentro da escola, conta Gizelda. A professora explica que a escola pode até oferecer um coordenador pedagógico, mas que é um para cada escola e que normalmente fica apenas em um dos períodos.

Gizelda acredita que todo professor, como qualquer profissional, precisa de um supervisor e precisa de orientação para a realização de um projeto , e isso no serviço público é escasso.

Força de vontade

Idealizadora, a docente acredita que a força de vontade para a melhoria do ensino deve partir não só da escola, mas também dos educadores . Ilustra seu pensamento lembrando-se de um concurso ocorrido em uma escola da prefeitura de Osasco no qual o melhor projeto seria premiado. Conta que um dos professores buscou dentro da própria escola materiais de laboratório e bons materiais de pesquisa enquanto outros docentes trabalharam apenas com cartazes e cópias de revistas, textos de alunos e materiais muito tradicionais.

Enquanto na rede particular esses materiais estão sempre disponíveis e acessíveis aos professores e alunos, Gizelda explica que na rede pública, quando se tem, muitas vezes esses materiais ficam esquecidos, pois ficam guardados e os computadores ficam armazenados . Mas eu afirmo com todas as letras, vai do interesse de cada professor buscar melhorar o ensino ou não, completa.

Gizelda faz questão de relatar que o problema não está somente nas escolas da rede pública. Afirma que principalmente pequenas escolas particulares de educação infantil apresentam deficiências de ensino por não contratarem professores para acompanhar seus alunos. Não se preocupam em ser uma escola de qualidade ao invés de um centro de recreação para crianças. E enfatiza que existem tanto escolas particulares ruins como escolas públicas boas, e vice-versa .

Mas a maior recompensa é ver o interesse do aluno e o valor que muitos deles dão àquela informação que o professor lhes ensina, completa.

Veja também:

E mais:

Leia mais sobre: Semana do Professor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG