Especial Estudante: Descubra os benefícios do estágio em sua vida profissional

Bruno Bombonatti, de 25 anos, tem uma rotina corrida. Durante o dia, encara o trabalho numa grande empresa e à noite cursa a faculdade de Administração de Empresas. Assim como ele, muitos jovens brasileiros encaram a dupla jornada desde o começo da faculdade, mas será que tanto esforço vale a pena?

Nina Lopes |

Semana do estudante

Comecei a estagiar na Bovespa em outubro de 2004, no segundo ano da faculdade. Foi meu primeiro emprego na área. Para minha formação, essa oportunidade foi fundamental, pois o estágio me proporcionou uma visão ampla de como funciona uma grande empresa e de como me enquadrar nela, conta Bruno.

O estudante diz também que não teve muita dificuldade em encarar a dupla jornada e sempre priorizou o trabalho, colocando-o muitas vezes acima dos estudos. No meu caso não foi difícil conciliar o estágio com a faculdade, pois sempre que precisei me ausentar do trabalho para resolver alguma pendência acadêmica a empresa me liberou. Mas nas vezes em que precisei trabalhar no horário das aulas nunca hesitei em ficar e realizar o que me solicitado. Esse é um jeito de demonstrar interesse e fidelidade com o seu trabalho e seu chefe saberá valorizar isso, afirma.

E a estratégia parece ter dado certo: após 2 anos e 8 meses como estagiário, Bruno foi efetivado na empresa ¿ antes mesmo de concluir a faculdade.

No que a faculdade deixa a desejar

Há pouco mais de um ano no cargo, Bruno ainda não acabou a faculdade, que já freqüenta há cinco anos (o curso de Administração de Empresas pode ser concluído em quatro anos). No entanto, ele afirma ter valido a pena priorizar o trabalho. Hoje a experiência do estágio é determinante na vida de um profissional. Sem ela eu provavelmente estaria um degrau abaixo em minha área profissional. Por mais que a faculdade tenha me ensinado muito, eu jamais teria aprendido nas aulas o modo funcional das empresas, suas regras e obrigações e a relação cotidiana com as pessoas dentro do departamento, afirma.

Na faculdade a gente aprende a teoria do que pode incorporar dentro da empresa na qual faz estágio. Mas é no estágio que você vive a olho nu o que aprende na faculdade, praticando, conclui.

Mesmo dando prioridade ao trabalho, Bruno afirma que sempre se dedicou aos estudos. No entanto, para ele as faculdades de sua área (administração de empresas) deixam a desejar no quesito atualização. Por mais que o curso de administração de empresas abra um leque variado de opções para o mercado de trabalho, falta um pouco mais de atualização dos cursos perante o cenário empresarial brasileiro. As faculdades estão se tornando obsoletas frente aos avanços do País e muitas matérias não são de grande valia para o mercado de trabalho, completa.

Prova de fogo

Bruno afirma que, como estagiário, teve que ralar muito para conseguir a contratação. Muitas empresas usam sim o estágio como uma forma de manter empregados com salários baixos, mas com as mesmas responsabilidades de um funcionário formado e efetivado. O clichê que estagiário não trabalha é uma lenda. Na verdade, o estagiário assume diversas responsabilidades difíceis dentro da empresa, diz. E, de acordo com o rapaz, ter responsabilidades não é ruim. É preciso que o estagiário tenha responsabilidades sim, pois somente assim a empresa reconhecerá sua capacidade e irá contratá-lo. É como se fosse uma prova de fogo, afirma.

Leia mais sobre: Estágio - Dia do Estudante

    Leia tudo sobre: dia do estudanteestágio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG