SÃO PAULO ¿ A Secretaria da Educação de São Paulo lançou nesta quinta-feira o Índice de Desenvolvimento da Educação (Idesp), que estipula as metas que devem ser seguidas ano a ano pelas escolas estaduais, projetadas até 2030.

A intenção da secretaria é que a rede atinja alto nível de educação, compatível com a dos países membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Para criar o índice, a secretaria levou em conta dois critérios: o desempenho dos alunos no Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), divulgado no dia 13 de março, e o fluxo escolar em cada nível de ensino das escolas, que é determinado pela taxa de aprovação média em cada ciclo (de 1ª a 4ª série, de 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental e de 1ª a 3ª do Ensino Médio).

Cada escola tem um Idesp para cada ciclo. Segundo a secretaria, é esperado que em 2010 a rede estadual tenha 41,2% dos estudantes na 4ª série nos níveis adequado e avançado. Já na 8ª série, 28,2% em adequado e avançado e, no Ensino Médio, 16,6%. Os níveis são divididos em abaixo do básico, básico, adequado e avançado.

As metas são individuais e levam em consideração a atual situação das escolas, suas dificuldades e potenciais. As unidades são comparadas somente com elas mesmas, sem qualquer relação com outras instituições estaduais.

O índice estipula metas anuais que devem ser alcançadas pelas escolas estaduais paulistas. São índices de 0 a 10. As 5.183 escolas que integram o projeto ganham, a partir de hoje, um índice do trabalho concluído em 2007 e metas a serem alcançadas ainda este ano e para os anos seguintes.

Os níveis ideais para cada ciclo são: para 4ª série as escolas terão de chegar a índice 7. Para 8ª, 6. Para 3ª do Ensino Médio, 5.

Leia mais sobre: Idesp - São Paulo  - Saresp - escolas estaduais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.