Universidades não planejavam usar Enem de abril

Edição cancelada do primeiro semestre era pouco conhecida e instituições não contavam com nota para seleção no meio do ano

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

A edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de abril, que foi cancelada na sexta-feira à noite, ainda não estava nos planos da maioria dos candidatos e universidades. Apesar de lamentarem a falta da prova e a mudança de planos, a maior parte das instituições não havia formatado o processo seletivo do segundo semestre com base no exame, como já acontece para o ingresso de novos alunos no começo do ano.

A Universidade Federal do Ceará, primeira a aderir completamente ao Enem em fevereiro de 2010, ainda estudava se utilizaria o exame de abril para ingresso no meio do ano. A instituição utiliza as duas edições anuais do Sistema de Seleção Unificado (Sisu), porém sempre com a nota de uma edição do Enem.

O pró-reitor de Graduação, Custódio Almeida, conta que havia uma preocupação interna com a possibilidade de comparar as notas de duas edições do Enem, caso houvesse outra em abril, para o processo seletivo do segundo semestre. “Nós estávamos em dúvida se aceitaríamos apenas a edição do Enem de 2011 a nova que iria acontecer em abril ou ambas. O cancelamento facilitou a decisão”, conta.

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que usou o Enem de 2011 como primeira fase de seu vestibular para ingresso em 2012, já não pretendia fazer uma nova seleção no meio de ano. A instituição tem cursos com início no segundo semestre, porém a seleção é feita em janeiro, junto com a turma que ingressa no começo do ano.

Em São Paulo, o coordenador do vestibular da Universidade de Campinas, Maurício Kleinke, lamentou que o exame tenha sido cancelado. A instituição tenta adotar parcialmente o Enem, mas por conta dos dados dos candidatos só serem divulgados após boa parte do processo seletivo da Unicamp, não tem sido possível. Com um Enem em abril, haveria a opção de usar a nota na composição da pontuação final. “Para o processo de avaliação, quanto mais provas puderem compor a seleção, melhor. Infelizmente não vai ser possível novamente.”

Em outros anos problemas no Enem adiaram a divulgação do resultado e inviabilizaram a composição da nota. Em 2012, com o adiamento também da prova do segundo semestre de outubro para novembro, a instituição mais uma vez não contará com o exame.

Candidatos

A maior parte dos estudantes de cursinhos ainda aguardava iniciativa das instituições com abertura de vagas pelo Enem de abril para se dedicar à prova. Mesmo quem estava matriculado em um curso preparatório no primeiro semestre, ainda não contava com a edição daqui a três meses.

Francielly Cristine Souza da Silva, de 17 anos, por exemplo, se matriculou em um cursinho para fevereiro e março. Até segunda-feira, ela ainda não sabia que o Enem de abril estava cancelado. Informada pelo iG, se conformou rapidamente. “Talvez eu tentasse uma bolsa de Prouni, mas como minha nota no ano passado foi ruim, não sei se daria tempo de mudar”, diz.

O técnico de radiologia Marcelo Aparecido Silva, de 44 anos, matriculado na mesma turma se frustrou mais. “O problema é que toda vez dá alguma coisa errada no Enem. Uma em cima da outra. Tudo é um total desrespeito. A gente vai esperar, claro, não tem o que fazer, mas eles precisavam ser mais sérios”.

Dilma promete o mesmo para 2013

Para 2013, a própria presidenta, Dilma Rousseff, prometeu que haverá duas edições do Enem . Tanto ela, quanto Fernando Haddad, que se despede do Ministério da Educação nesta terça-feira , frisaram que apenas com duas edições o exame pode substituir os vestibulares.

    Leia tudo sobre: enemprimeiro semestremeio de ano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG