Termina audiência sobre vazamento do Enem em 2009

Quatro testemunhas são ouvidas pela Justiça em São Paulo. Depoimentos continuam nos dias 22 e 23 de setembro

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

A segunda audiência na 10ª Vara Federal Criminal de São Paulo para ouvir quatro testemunhas no processo que apura o vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi realizada na tarde desta quinta-feira, dia 2. As testemunhas falaram a portas fechadas, das 14h às 18h, porque o processo tramita em segredo de Justiça.

A audiência foi presidida pelo juiz federal Nino Toldo. As testemunhas de defesa e os interrogatórios dos acusados estão marcados para os dias 22 e 23 de setembro. Os depoimentos foram acompanhados pelos réus - Felipe Pradella, considerado o mentor do vazamento, Marcelo Sena Freitas, Filipe Ribeiro Barbosa, Gregory Camillo Craid e Luciano Rodrigues - e seus advogados, pela defesa do consórcio que organizava o Enem e por promotores.

Ralfi Rafael da Silva, advogado de Craid, afirmou na saída do prédio da Justiça Federal, que houve uma pane no computador que registrava os depoimentos. "No terceiro depoimento o computador deu problema e não sabemos se gravou ou não (a declaração)", disse. Silva afirmou ainda que acredita na absolvição de seu cliente. "Estou superconfiante", declarou.

No dia 18 de agosto, foi realizada a primeira audiência, com o juiz Márcio Rached Milani, da Justiça Federal de São Paulo, que ouviu quatro das 11 testemunhas escaladas.

O vazamento da prova veio à tona após dois homens tentarem vender a prova por R$ 500 mil ao jornal "O Estado de São Paulo".  A reportagem avisou o Ministério da Educação (MEC) do vazamento, e o Enem, que ocorreria em outubro, foi adiado para dezembro, prejudicando 4 milhões de candidatos em 1,8 mil cidades do País.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: enemvazamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG