Redação e tempo preocupam candidatos no 2º dia de Enem

Neste domingo, prova tem questões de linguagens, matemática, além do texto dissertativo

Cinthia Rodrigues e Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Os candidatos tinham duas principais preocupações para as provas do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) : o tempo e a redação. Neste domingo, são aplicadas as provas de linguagens, matemática , além de uma redação dissertativa de 30 linhas. Essa é considerada a prova mais cansativa do Enem e tem cinco horas e meia de duração. A avaliação começou às 13h. A partir das 19h, acompanhe a resolução comentada das questões no iG .

Veja também: colunista Mateus Prado fala ao vivo, às 19h30

“Estou menos nervosa do que ontem, mas vou tentar acelerar nas questões para fazer a redação com calma”, diz Eloisa Ferreira, de 17 anos, que presta o Enem pela primeira vez, na Uninove, no bairro Barra Funda, em São Paulo. A colega de escola Carolina Silva, de 17 anos, também vai priorizar a redação: “Vou me dedicar ao máximo, porque sei que é importante na pontuação”.

Temas polêmicos são mais fáceis para Gigliane Alves, de 18 anos. “Quero que caia homofobia. Tenho dificuldade para desenvolver argumentação. Então prefiro que seja um tema que eu tenha bastante coisa para falar”, opina. A colega Laís Alexia, de 18 anos, está ansiosa porque não teve um treino específico na escola. Na prova de ontem, pesou não ter estudado. Espera ir bem hoje.

Alguns estudantes preferem não pensar nos possíveis temas da redação, como Plínio Dende da Silva, de 18 anos. Hoje a prova é mais difícil porque é mais cansativa, mas tem que arrebentar de qualquer jeito, não pode ficar aflito com o tema que vai cair.

Matemática também merece atenção
Em outro local de prova em São Paulo, no bairro Vila Olímpia, candidatos pareciam mais preocupados com matemática. Os temas genéricos da redação e com pouca exigência de conhecimentos prévios em anos anteriores tornaram os candidatos mais confiantes.

“É sempre um tema de atualidade e qualquer um sabe falar um pouco”, diz Gabriel Pacheco, de 18 anos, candidato a uma vaga em audiovisual. Ainda assim, ele vai começar pela redação para ter melhor controle do tempo depois.

Os candidatos dão menos atenção à redação do que já deram por acharem que a correção é muito subjetiva. Juliana Gomes Mendonça, 19 anos, que faz o Enem pela terceira vez para uma vaga em Medicina, conta que amigos que fizeram 10 linhas tiraram notas boas e outros que costumavam ir bem nos cursinhos tiraram nota regular. “É muito subjetivo, varia de acordo com o examinador”.
A partir deste ano, se houver mais de 300 pontos de diferença na nota de dois examinadores, um terceiro vai avaliar. Até o ano passado, a diferença necessária para isso era de 500 pontos.

Também aluna de cursinho, Ana Paula Ferreira Silva, 19 anos, quer fazer relações públicas, e acha que o mais difícil hoje é matemática. Português é muita interpretação e a redação sempre dá para ir “mais ou menos”.

Correção e comentários ao vivo

Logo após o término da prova, o iG vai publicar a correção online das questões em parceria com o curso CPV. O colunista Mateus Prado participa ao vivo de debate na TViG, às 19h30 .

O Enem avalia o ensino médio e é usado para compor a nota de vestibulares e pré-requisito para bolsa de estudos integral ou parcial do Programa Universidade Para Todos (Prouni) e o financiamento estudantil do Fies, ambos concedidos pelo governo federal. No primeiro dia, dos mais de 5,3 milhões de candidatos se inscreveram,  25,29% não compareceram . Foram aplicadas 45 questões de múltipla escolha de Ciências Humanas e 45 de Ciências da Natureza, consideradas de nível médio por professores de cursinho . O gabarito oficial será publicado na terça-feira.

Acompanhe a cobertura do Enem no Twitter @ igeducacao .

    Leia tudo sobre: Enem 2011provasredação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG