Prova do 2º dia do Enem é longa e exige resistência

Exames de matemática, português e redação são aplicados no domingo. Estudantes reclamam de dificuldade para terminar as questões

Marina Morena Costa e Priscilla Borges |

Quarenta e cinco questões de matemática, 45 de linguagens (português e língua estrangeira), uma redação e cinco horas de duração. A segunda prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aplicada no domingo, é considerada cansativa e alvo de críticas de alunos e professores. “É uma prova muito desgastante por conta da repetição do tipo de questão. Matemática é baseada essencialmente em três temas: geometria, porcentagens (variáveis proporcionais) e análise combinatória de probabilidades. E português é praticamente só interpretação de texto”, avalia Edmilson Motta, coordenador-geral do Curso Etapa Vestibulares, em São Paulo.

Marina Morena Costa/iG
Claudia Chen acredita que o Enem avalia a resistência dos estudantes
Para o professor, a prova de Ciências Humanas, da Natureza e suas Tecnologias – aplicada no primeiro dia – engloba mais disciplinas, como história, geografia, biologia, física e química, e permite um exame mais diversificado, com tabelas, gráficos e mapas. Já no segundo dia, mesmo que a prova de português apresente cartoons, charges, poesias e trechos de obras literárias, as questões são repetitivas, na avaliação de Motta.

“É um exame que avalia mais a resistência do candidato do que o conhecimento”, define Claudia Chen, de 19 anos, que se prepara para ingressar no curso de Biologia. No ano passado, a estudante não conseguiu terminar a redação do Enem, porque demorou mais tempo do que esperava em matemática. “Como a nota da redação não contava para a faculdade para a qual eu estava prestando, nem me preocupei, mas neste ano vou tentar fazer”, conta Cláudia.

Os textos longos dos enunciados e a falta de tempo para realizar a prova inteira são as principais reclamações dos estudantes ouvidos pela reportagem do iG. “Às vezes, a pergunta é boba, fácil de responder, mas tem um texto imenso para ler e você acaba se perdendo”, diz Nicole Amanda Alves, 18 anos.

Aimee del Frari, de 19 anos, também reclama. “Você tem que fazer a prova correndo e não tem como ler com toda a atenção necessária, porque você sabe que não vai dar tempo”, afirma. As colegas Kary Visoto, 19 anos, e Thais Matias, 18 anos, consideram a prova cansativa. “O jeito é fazer o que você sabe primeiro para garantir os pontos e deixar o resto pro final, porque a gente acaba tendo que chutar”, avalia Thais.

As escolhas do Inep

A reclamação dos estudantes, embora seja recorrente nos colégios, ainda não chegou ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) – responsável pelo Enem. Segundo o presidente do órgão, Joaquim José Soares Neto, as críticas ou sugestões serão sempre analisadas. “Se o debate surgir e for necessário fazer mudanças, o faremos”, garante.

Reynaldo Fernandes, presidente do Inep à época das mudanças feitas no Enem – antes o exame tinha 63 testes aplicados em um dia de prova e não valia como vestibular para universidades federais –, garante que a ordem das provas foi bastante discutida com técnicos, especialistas em vestibular, pedagogos e professores. Segundo ele, a maioria achava pior que a prova de matemática ocorresse no mesmo dia das outras de ciências – física, química e biologia.

“Não havia como colocar mais dias de provas. Ficaria muito extenso. A quantidade de itens de cada prova foi escolhida para que a proficiência de cada aluno fosse melhor avaliada. Houve muita discussão sobre quando aplicar a prova de matemática e a maioria acreditou que o ideal era deixá-la em dia diferente das outras exatas. Para decidir, tínhamos de pesar muitos fatores, como segurança, tempo, qualidade”, afirma Fernandes.

A decisão pela redação no segundo dia de provas passa por se tratar de um domingo. A aplicação no sábado prejudicaria os estudantes chamados de “sabatistas”. São os judeus ou adventistas, por exemplo, que não podem começar a fazer a avaliação antes do pôr do sol, por motivos religiosos. Eles entram no ambiente de provas no mesmo horário que os outros candidatos, mas só começam a responder bem mais tarde. Se a redação fosse aplicada no primeiro dia, eles só terminariam o exame à 1h da manhã.

Marina Morena Costa/iG
Thais Matias e Kary Visoto consideram a prova cansativa
Dicas

Para encarar a maratona da prova de domingo, o professor Edmilson Motta sugere variar entre as questões “para não deixar a peteca cair”. “O estudante pode usar meia hora para o rascunho da redação, depois uma hora para a prova de português, mais uma hora para a de matemática e depois voltar para finalizar a redação e as questões mais difíceis. Assim ele mantém o foco por mais tempo e, principalmente, consegue pontuar em todas as partes da prova”, indica.

Motta avalia que resolver uma disciplina inteira de uma vez só pode comprometer a resolução da outra. “Se o aluno faz toda a prova de português em um estirão, fica muito cansado e isso pode comprometer o tempo da prova de matemática. Pelo relato dos alunos, variar ajuda a controlar o tempo.”

A estudante Claudia Chen se programa dias antes para não sentir sono e cansaço na hora da prova. “Procuro dormir bem, estar relaxada e cuidar do meu horário para não ficar com sono na hora da prova, que é às 13h, logo depois do almoço”, conta. Nicole Amanda Alves sugere olhar o tema da redação primeiro, mas escrevê-la por último: “Os textos da prova de português podem te dar ideias para a redação, você pode usar algumas palavras ‘boas’”.

Perfil do Enem:

- Duas provas com 45 questões (90 testes no total) de múltipla escolha, apliacadas em dois dias
- Dia 6/11/2010 (sábado), das 13h às 17h30 - Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
- Dia 7/11/2010 (domingo), das 13h às 18h30 - Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias e Redação
- Locais de prova: 27 unidades da Federação, nos municípios indicados nos Anexo I do Edital do Enem 2010 e nos locais informados nos Cartões de Confirmação das Inscrições dos inscritos
- Participantes: 4,6 milhões inscritos

    Leia tudo sobre: Enemprovaredaçãodicas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG