Piauí mantém destaque entre as melhores no Enem

Resultados mostram que Estado rivaliza com Minas, São Paulo, e Rio a elite do ensino brasileiro. iG mostrou tendência ano passado

Priscilla Borges, iG Brasília |

Mais uma vez, escolas piauienses se destacaram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) . Entre os 20 colégios mais bem colocados no ranking elaborado pelo iG , que possui 4.203 escolas em que pelo menos 75% de seus estudantes participaram do exame, há duas instituições da capital Teresina. O Instituto Dom Barreto aparece em segundo lugar, com média 754,13, e o Educandário Santa Maria Goretti em sétimo, com média 727,6.

Entre os cem colégios que mais se destacaram no exame, apenas dos estados do Rio de Janeiro , Minas Gerais e São Paulo superaram o Piauí, que tem cinco instituições nessa lista. O estado do Rio possui 34 escolas; Minas, 28, e São Paulo, 15. A comparação desse destaque com a quantidade total de instituições que oferecem a modalidade de ensino médio nesses Estados torna as conquistas do Piauí ainda mais impressionantes.

O Piauí tem 592 escolas que oferecem ensino médio em áreas urbanas, sendo 458 públicas e 134 privadas. São os colégios particulares que obtiveram os melhores desempenhos no Estado. No Rio de Janeiro, há 1.981 instituições com turmas de ensino médio em áreas urbanas (1.056 públicas e 925 privadas). Em Minas, 2.767 (2.079 públicas e 688 particulares) e, em São Paulo, 5.847 (3.707 públicas e 2.140 privadas).

Troca de posições e novas escolas

Algumas escolas piauienses perderam posições no ranking das melhores do Enem 2010 e outras apareceram na lista. Em 2009, quatro escolas estavam entre as 26 primeiras no ranking. O Dom Barreto subiu do terceiro para o segundo lugar. O Santa Maria Goretti foi da 19ª posição para a 7ª este ano. Já o Instituto Lavoisier caiu do 13º para o 79º lugar.

Aparecem ainda entre os cem primeiros o Colégio Sagrado Coração de Jesus, na 43ª posição e média 703,42, e o Colégio São Francisco de Sales, com nota global 699,39. Apesar das diferenças de posições, as médias obtidas por essas escolas não ficam distantes: 60,21 pontos separam o Dom Barreto do Lavoisier. O Colégio Lerote foi o que mais perdeu posições: caiu do 13º para o 633º lugar por causa de uma queda na média de 13,5 pontos apenas.

Para Dalton Leal, diretor pedagógico do Maria Goretti, os resultados de exames anteriores comprovam que há “excelência consolidada da rede privada de ensino do Piauí”. “Entre as 100 melhores escolas, 83 estão concentradas em quatro Estados e um deles é o Piauí. Se compararmos proporcionalmente ao número de escolas de cada Estado, o resultado é bastante significativo”, afirma.

O diretor explica que, além do orgulho pelo bom desempenho da rede particular, as escolas privadas do Estado estão preocupadas com a rede pública. “Nós precisamos unir forças para melhorar esses indicadores. Estamos em contato com as autoridades e queremos contribuir para mudar isso, dividindo experiências”, diz Leal, que é presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Estado.

Receita do sucesso

Priscilla Borges, iG Brasília
Para diretor, turmas pequenas (com até 25 alunos) contribuem para o sucesso do Maria Goretti, que subiu de 19º para o 7º lugar
No ano passado, o iG visitou as escolas do Piauí que mais se destacaram no Enem para conhecer a receita do sucesso delas. Em todas, encontrou semelhanças: carga horária de estudos pesada (mais de sete horas diárias, inclusive aos sábados), investimento na carreira dos professores, proximidade com as famílias, dedicação dos estudantes e vontade de mudar a visão do País sobre o Piauí.

No Maria Goretti, que agora faz parte das dez melhores, a integração entre direção, professores, alunos e família é fundamental para o sucesso da instituição. Além disso, o diretor lembra que os alunos estudam na escola desde a educação infantil. Em turmas reduzidas, de no máximo 25 alunos por sala, ele também acredita que é possível atender melhor os estudantes e sanar as dificuldades deles.

“Quando o trabalho de uma escola é feito com propriedade, a tendência é que a gente melhore cada vez mais. A metodologia não mudou, mas os meninos estão mais empenhados, a auto-estima deles também aumenta com os bons resultados”, comenta. Para o diretor, a divulgação da participação dos alunos no exame é fundamental para mostrar resultados mais “verdadeiros” do Enem.

Leal ressalta ainda que os pais não devem considerar apenas as notas das escolas no Enem para escolher uma instituição para matricular os filhos. Ele acredita que essa é uma referência importante, mas longe de traduzir toda a qualidade de ensino de uma escola.

Consulte o ranking

O iG fez uma ferramenta que apresenta as médias das notas dos alunos nas provas objetivas (nas quatro áreas do conhecimento), na redação e totais (objetiva e redação) de todas as escolas brasileiras que tiveram candidatos no exame. Ao consultar pelo nome do colégio, pela rede de ensino (pública ou privada) ou pelo Estado, é possível ver também qual percentual de alunos de cada instituição fez o Enem. Com base na mudança na divulgação dos dados realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão que organiza o exame, também foi elaborado um ranking dos melhores e dos piores desempenhos de 4203 escolas.

Para evitar comparações entre instituições com níveis de participação muito diferentes, o iG optou por reunir na lista que leva em conta as médias totais dos alunos apenas os colégios com mais de 75% de alunos participantes. Aparecem sem conceito (S/C) na tabela as escolas que tiveram menos de 10 estudantes no Enem ou menos de 2% de taxa de participação.

Consulte abaixo o ranking completo ou a nota da sua escola.

ATENÇÃO: para fazer a busca da sua escola, não coloque cedilha ou acentos gráficos (acento agudo, circunflexo ou til).

    Leia tudo sobre: enem 2010rankingensino médioinfográfico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG