PF investiga vazamento de tema da redação do Enem em Pernambuco

Estudantes procuraram professor de cursinho para discutir o tema 'trabalho escravo' horas antes da prova de domingo, diz delegado

iG São Paulo |

A Polícia Federal de Juazeiro (BA) investiga uma denúncia de vazamento do tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorrida na cidade vizinha de Petrolina (PE). De acordo com a denúncia, estudantes foram informados de que deveriam escrever um texto dissertativo sobre “trabalho escravo”, horas antes da prova do último domingo. A redação do Enem teve tema similar, “O Trabalho na Construção da Dignidade Humana”, e apresentava como texto de apoio uma reportagem sobre escravidão no Brasil.

O delegado geral da Polícia Federal de Juazeiro, Alexandre de Almeida Lucena, tomou conhecimento do caso por meio da imprensa local e está apurando se houve realmente vazamento do tema. “Há um indício grande de que possa ter havido exibição do conteúdo dessa prova antes da aplicação”, afirmou em entrevista ao iG.

Lucena solicitou nesta terça-feira que seus policiais fizessem um levantamento dos professores e estudantes envolvidos no caso. O delegado deve receber um relatório na quarta e então irá decidir se instaura inquérito.

A Polícia Federal de Juazeiro não recebeu nenhuma orientação do Ministério da Educação (MEC) para atuar no caso. Segundo o delegado, a investigação corre por responsabilidade da PF local.

A assessoria de imprensa do MEC afirma não ter indícios de que tenha ocorrido vazamento da prova em Petrolina e por isso não solicitou à PF abertura de inquérito. O ministério afirma que as provas do Enem estavam armazenadas no 72º Batalhão de Infantaria Motorizado em Petrolina em segurança. Os testes só saíram do quartel para os locais de provas nos dias de Enem. O MEC continua considerando o procedimento seguro sem indícios de fraude.

O advogado-geral da União, Luis Inácio Lucena Adams, disse que não tinha conhecimento das denúncias. "Qualquer vazamento que possa ter acontecido antes da aplicação da prova é objeto de investigação criminal. Mas não basta alegações de que isso possa ter ocorrido. É preciso que haja fundamento nesse tipo de denúncia para que seja apurada", afirmou Adams, em entrevista coletiva sobre explicações da defesa do Enem durante a tarde desta terça-feira.

O Enem está suspenso em todo o País desde segunda-feira (9). A juíza Karla de Almeida Miranda, da 7ª Vara Federal do Ceará, acatou pedido do Ministério Público Federal e determinou a suspensão de todos os processos que envolvem o exame. A divulgação dos gabaritos das provas, prevista para esta terça-feira, também foi vetada pela juíza .

* Com iG Brasília

    Leia tudo sobre: Enemproblemassuspeita de fraude

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG