PF indicia dois por antecipação de questões do Enem

Professor e funcionário do Colégio Christus, de Fortaleza, vão responder por estelionato

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

A Polícia Federal (PF) de Brasília indiciou um professor e um funcionário do Colégio Christus , de Fortaleza. A instituição de ensino particular antecipou aos seus alunos vestibulandos 14 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011. O inquérito foi concluído na última sexta-feira (13) e encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF) do Ceará, a quem caberá decidir se haverá processo judicial contra os dois investigados.

Leia também: Pivô da crise do Enem, Christus faz publicidade de notas dos alunos

Os dois funcionários do Colégio Christus foram indiciados por estelionato. As questões foram copiadas de cadernos de um pré-teste aplicado aos alunos do colégio em 2010 . O funcionário teve acesso às salas de prova, mas não assinou o termo de confidencialidade, segundo a PF. Já o professor, conforme o inquérito, foi o responsável por distribuir as questões copiadas aos 1139 alunos do cursinho e do 3º ano. Durante as investigações, foi apontado o nome do professor de Física Jahilton Motta como envolvido no caso.

As investigações da PF indicam ainda que o consórcio Cespe/Cesgranrio, contratado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), terceirizou a aplicação do pré-teste. Isso teria facilitado a cópia das 14 questões repassadas aos alunos cerca de duas semanas antes das provas do Enem.

A defesa do Colégio Christus e de seus funcionários informou que ainda não teve acesso ao relatório da PF. A diretoria da escola divulgou nota declarando que confia “na honestidade e na lisura” dos funcionários e acrescentou que aguarda uma “posição equilibrada e isenta do Ministério Público Federal a respeito dos fatos”.

Caberia à procuradora federal Maria Candelária Di Ciero decidir se recomenda à Justiça Federal a instauração de um processo criminal contra os dois funcionários apontados no inquérito policial. Contudo, a procuradora está de licença. Isso significa que pode haver uma nova distribuição do inquérito enviado pela PF, segundo a assessoria de imprensa do MPF no Ceará.

O Ministério da Educação (MEC) disse esperar "que todos aqueles que atentaram de alguma maneira contra o Enem sejam punidos exemplarmente".

*Colaborou Priscilla Borges, iG Brasília

    Leia tudo sobre: EnemChristusquestões vazadas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG