Para evitar falhas, provas do Enem terão código de barras

Novidade foi sugerida pelo Inmetro, que está acompanhando todo o trabalho de impressão de provas e dos responsáveis pela segurança

Priscilla Borges, iG Brasília |

O Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) planeja criar programas de certificação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) . A proposta do órgão é elaborar esquemas para certificar a qualificação dos fiscais de provas e verificar se os locais de aplicação do exame cumprem os requisitos de qualidade exigidos pelo edital.

“Para o ano que vem, quando teremos um tempo mais razoável para trabalhar, vamos propor ações que utilizam a experiência do Inmetro: programas para certificar a qualificação dos profissionais que trabalham nas salas de aplicação e outro para garantir que esses locais seguem os requisitos dos termos de referência determinados para o Enem”, explica Marcos Aurélio Lima, diretor da Coordenação-Geral de Acreditação (Cgcre) do Inmetro.

Contratado para ajudar a evitar falhas do exame este ano, o Inmetro se reúne desde fevereiro com os técnicos e diretores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). As tarefas do instituto, segundo Lima, têm sido visitar a gráfica RR Donnelley – que venceu a licitação realizada no ano passado para imprimir as edições do Enem de 2010 e 2011 – e os responsáveis pela segurança dos malotes com as provas para aperfeiçoar os processos e garantir que falhas na impressão e na orientação aos candidatos, como as cometidas no ano passado , não ocorram mais.

O diretor de Acreditação garante que o termo de cooperação técnica elaborado entre as instituições prevê uma assessoria do Inmetro apenas. “Não estamos executando nada. Nosso papel é auxiliar para que o processo tenha sucesso”, garante. Segundo ele, em mais de dois meses de visita à gráfica, os técnicos do instituto acompanham a execução das etapas para verificar se os instrumentos e as especificações do edital sejam cumpridas.

“Estamos entendendo a complexidade desse processo”, diz. Lima lembra que a empresa Módulo, de análises de risco, foi contratada também pelo Inep para fazer um mapeamento das atividades do Enem, desde a elaboração do edital. Ao final, com essa avaliação, o Inep e o Inmetro farão uma análise crítica dos resultados e poderão sugerir mudanças nos processos. Com as observações já feitas, o Inep decidiu colocar códigos de barras em todos os cadernos de questões de provas, por exemplo.

Segurança
O Inep também anunciou mudanças para garantir que o material seja impresso sem erros. Um novo dispositivo eletrônico será instalado na gráfica para detectar possíveis falhas e impedir que provas com defeito sejam entregues aos alunos. Por meio de códigos, uma máquina irá conferir se as provas estão montadas de forma correta ou se há erro no padrão de impressão.

No ano passado, um problema dessa natureza causou tumulto durante a aplicação. Um lote de 21 mil cadernos de prova amarelos apresentou erro na montagem. Eles não continham todas as 90 questões das provas de ciências da natureza e humanas. O MEC reaplicou o Enem aos alunos prejudicados, mas houve reclamações mesmo assim. Além do problema com os cadernos amarelos, os cartões de respostas também estavam com o cabeçalho das duas provas invertido .

    Leia tudo sobre: EnemprovasInmetroInep

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG