MP pede a divulgação dos critérios de pontuação do Enem

Ação do Ministério Público Federal no Ceará quer que Inep explique as notas, já que muitos estudantes reclamaram da nota obtida

iG São Paulo |

O Ministério Público Federal no Ceará entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal solicitando que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) explicite os critérios de correção das provas objetivas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Como muitos candidatos questionaram as notas obtidas, divulgadas na semana passada, O MPF entrou com a ação na última segunda-feira (26).

De acordo com o edital, o cálculo das notas do Enem utiliza a Teoria da Resposta ao Item (TRI). Mas para o procurador da República e autor da ação, Oscar Costa Filho , a menção a uma metodologia de avaliação não dispensa a explicação de seu cálculo, principalmente porque as notas obtidas no Enem serão utilizadas no processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para o preenchimento de vagas em instituições públicas de todo o País.

Os estudantes se queixam de não saber quais são as questões classificadas pelo Inep como fáceis ou difíceis – a classificação interfere diretamente na pontuação dos acertos nas provas objetivas. Na ação, o procurador cita o exemplo de um estudante que, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, acertou todas as questões das provas de Matemática e Ciências da Natureza e obteve pontuações diferentes.

Oscar Costa Filho questionou o Enem em âmbito nacional diversas vezes. Em 2010, ele pediu a anulação da prova após os erros de impressão nos cadernos amarelos e a inversão do cabeçalho nos gabaritos. Neste ano, pediu novamente a anulação do exame após a revelação de que o Colégio Christus, de Fortaleza, aplicou um simulado com questões idênticas as do Enem , uma semana antes da prova. Em nenhum dos dois casos Costa Filho obteve sucesso.

    Leia tudo sobre: Enem 2011Enem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG