Ministério da Educação recorre de anulação de 13 questões do Enem

Documento foi protocolado na tarde desta quinta-feira e propõe, como alternativa, que perguntas sejam invalidadas apenas no Ceará

iG São Paulo |

O Ministério da Educação entregou ao Tribunal Regional Federal, em Recife, o recurso contra a anulação das 13 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para todo o Brasil. O documento defende que a decisão é desproporcional à própria argumentação do juiz Luiz Praxedes Vieira da Silva, do Ceará, pois estende a medida a todo o País por um problema que teria ocorrido apenas em Fortaleza.

O ministro Fernando Haddad já havia declarado que a anulação é prejudicial a 99,9% dos candidatos . Como havia defendido em primeira instância, o governo pedirá que apenas os alunos do Colégio Christus, de Fortaleza, que tiveram acesso às questões antecipadamente tenham o exame anulado. Outra alternativa oferecida pelo MEC no recurso para solucionar o caso é anular as 13 questões apenas dos estudantes da instituição.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, pretendia entregar pessoalmente o recurso no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Recife, mas desistiu porque o presidente da corte, desembargador Paulo Roberto Lima, não estava na capital pernambucana.

O ministério considera que o problema da antecipação das questões que caíram no exame de outubro é localizado e deve ser tratado cirurgicamente. As 13 questões anuladas a pedido do Ministério Público foram pré-testadas na escola em 2010 e apareceram uma semana antes das provas em apostila do colégio. A Polícia Federal investiga o caso.

    Leia tudo sobre: enem 2011christus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG