MEC irá corrigir Enem com identificação da cor ou frase transcrita

Governo responde a estudante que prova precisa apenas de uma das identificações para ser corrigida

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

O Ministério da Educação (MEC) respondeu nesta sexta-feira a um estudante que as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão corrigidas se tiverem uma das duas identificações obrigatórias no cartão de respostas: a cor do caderno de perguntas e a transcrição da frase impressa nele.

De acordo com o edital, as duas identificações eram obrigatórias e exigidas para que as provas fossem corrigidas. A informação estava nas instruções escritas no teste e nas orientações dadas pelos fiscais em sala. Após as provas, estudantes que esqueceram uma das marcações entraram em contato com o iG e comentaram o fato nas redes sociais. A resposta dada pelo MEC foi a de que as regras estavam expressamente claras no edital .

No entanto, Jorge Luiz Barbosa Junior, de 18 anos, entrou em contato com a central de atendimento do MEC e recebeu nesta sexta a resposta de que sua prova será corrigida. Ele esqueceu de transcrever a frase para o cartão de respostas no primeiro dia do Enem, que foi aplicado em 22 e 23 de outubro em todo o País. “No sábado o fiscal não falou nada sobre a frase, só no domingo”, diz.

A resposta dada ao estudante ressalta que marcar a cor da prova e transcrever a frase constante na capa do caderno de questões são ações obrigatórias previstas em edital, mas avisa que “caso haja alguma indicação do tipo de prova que o participante respondeu (ou através da marcação da cor da prova, ou pela transcrição da frase), as provas serão corrigidas”. Somente não haverá correção se não houver nem uma das duas formas de identificação. A frase é mais uma das novidades incluídas neste ano pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais, órgão do MEC responsável pela aplicação do exame.

Jorge ficou aliviado com a resposta, que demorou quase vinte dias para sair. Aluno do curso de Ciências exatas e tecnológicas da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), ele não pretende ingressar em outra faculdade com a nota do Enem. “Fiz apenas pela experiência, mas mesmo sem intenção de passar, a gente fica chateado, se a prova não for corrigida. Ainda bem que será”, comemora.

Veja a resposta do MEC enviada a Jorge Luiz Barbosa Junior:

Reprodução
Estudante não marcou a frase no cartão de respostas do Enem, mas MEC disse que apenas uma das duas formas de identificação valida a prova para correção

    Leia tudo sobre: Enem 2011Enemprovas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG