Haddad diz que Inep não pode conceder cópias das redações do Enem

Segundo ministro, instituto não tem condições tecnológicas de atender a determinação da Justiça agora. MEC vai recorrer

iG São Paulo |

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse nesta quinta-feira que não há condições tecnológicas de se conceder a cópia das correções da prova de redação aos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011, como determinou a Justiça Federal no Ceará no início da semana.

Veja também: Redação do Enem com nova nota esclarece critérios de correção

“Não é só querer. Tem de se preparar tecnologicamente para o pleito e o Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais] não se preparou tecnologicamente para dar vista às provas de 4 milhões de pessoas”, disse Haddad depois de participar do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência em parceria com a EBC Serviços.

Agência Brasil
Haddad no programa Bom dia, ministro: Inep não está preparado para mostrar redações
Haddad ainda considerou “estranho” que o pedido tenha sido feito na divulgação do resultado da prova e não quando o edital foi lançado. “Vestibulares têm 30, 40 anos e não estão preparados, por que o Enem, que tem três anos, estaria? É preciso um pouco de compreensão”, explicou.

Na terça-feira (17), a Justiça Federal no Ceará determinou que o Inep ofereça a todos os participantes do Enem de 2011 a cópia das correções da prova de redação. O pedido havia sido feito pelo Ministério Público Federal (MPF) no estado. O Ministério da Educação (MEC) e o Inep já informaram que vão recorrer da decisão.

Leia mais: Para evitar acesso à redação, MEC promete mudança no próximo Enem

Segundo o ministro, a nova exigência poderá prejudicar as discussões quanto à possível realização do Enem duas vezes por ano e não uma, como é feito hoje. Entretanto, na semana passada, o ministro já havia dito que a realização de duas edições do exame por ano não estava garantida , apesar de já estar prevista em edital. A aplicação das provas seria nos dias 28 e 29 de abril.

“Não podemos colocar a máquina em fadiga. Há uma questão tecnológica a ser resolvida. É um problema novo que foi colocado e que não é tão simples assim”, disse. “Por enquanto, teremos um por ano até que tenhamos fôlego para atender às exigências. A questão está sendo discutida e pode não haver [o exame] em abril”, completou.

"Atentados"

O ministro afirmou no programa que o governo federal tem enfrentado "tentativas de atentado" contra o Enem. Haddad fez um balanço da sua gestão e comentou a sucessão de problemas envolvendo as últimas edições do exame. O Enem do ano passado foi marcado pelo vazamento de questões do pré-teste, o que levou à anulação de itens da prova do colégio Christus, em Fortaleza, Ceará. Ao todo, 1.139 alunos, tanto do colégio quanto do cursinho do Christus, tiveram 14 questões anuladas.

"Tenho certeza de que esse professor receberá a justa punição pelo péssimo exemplo que deu aos alunos e à sociedade brasileira", comentou Haddad, em referência ao professor Jahilton Motta, acusado de entregar a alunos um caderno com questões que cairiam no Enem. Além do professor, um outro funcionário do colégio foi indiciado pela Polícia Federal.

"Chegaremos a uma situação em que instituições como o Enem sejam respeitadas por toda a sociedade, valorizadas, porque ele é realmente o passaporte de ingresso à educação superior. Não podemos recuar diante dessa covardia que é cometida contra o exame, temos de ter coragem de perseverar nessa direção de consolidar o sistema", disse o ministro.

Transição

Ao deixar o estúdio, o ministro elogiou seu sucessor na pasta , o atual ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, e disse esperar uma transição tranquila. “O Mercadante fez um trabalho reconhecido no Ministério da Ciência e Tecnologia. Será um ótimo ministro”, disse.

O lugar de Mercadante no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação será ocupado pelo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antônio Raupp .

Haddad, Mercadante e Raupp estarão na primeira reunião ministerial de 2012, marcada para segunda-feira (23). As exonerações e nomeações serão publicadas no Diário Oficial da União no início da semana que vem.

* Com informações da Agência Brasil e da AE

    Leia tudo sobre: enemredaçãohaddad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG