Estudantes protestam contra Enem em todo Brasil

Em São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco e no Paraná, alunos vão às ruas em manifestações contra os erros da prova

iG São Paulo |

Estudantes secundaristas e universitários de todo Brasil realizam diversas manifestações contra o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os estudantes, que se mobilizaram por redes sociais, pintaram os rostos de amarelo, se vestem de preto, exibem cartazes e param o trânsito nas principais cidades do País.

O Ministério da Educação disponibilizou na noite desta sexta-feira um portal, no site do Enem, no qual os estudantes prejudicados pelos erros na prova podem se manifestar. As reclamações serão analisadas e darão ao ministério a dimensão do número de candidatos que precisará refazer o exame .

São Paulo

Uma manifestação de cerca de 200 estudantes bloqueia as duas faixas da direita da Avenida Paulista, sentido Rua da Consolação, informou a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Acompanhe o trânsito em São Paulo em tempo real .

Por volta das 15h20 de hoje, os manifestantes estavam na altura da Rua Ministro Rocha Azevedo, onde há um congestionamento de pouco mais de 1 quilômetro.

No centro de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, estudantes também fazem uma manifestação. Com narizes de palhaço, bexigas e faixas, os estudantes protestam contra os erros que ocorreram na prova deste ano. Eles questionam "até quando seremos cobaias?" e pedem respeito por parte dos organizadores do Enem.

AE
Estudantes protestam em frente ao Masp, na Av. Paulista

Paraná

Em Curitiba, cerca de 300 estudantes , de acordo com a Polícia Militar (PM), fizeram uma caminhada, na tarde de hoje por todo o calçadão da Rua 15 de Novembro e por algumas ruas do centro da cidade, com o objetivo de mostrar que o movimento estudantil continua forte. "O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foi apenas o gatilho que faltava", disse uma das organizadoras do movimento, que pediu para ser chamada apenas de "mais uma cara amarela".

"Nas ruas, nas praças, quem disse que sumiu. Aqui está presente o movimento estudantil", foi uma das palavras de ordem mais gritadas durante a manifestação que agitou a cidade, bastante esvaziada em razão do feriado da Proclamação da República. "Estamos protestando contra o descaso do governo com a educação em geral, está tudo focado mais na politicagem", disse a organizadora. "Se depender de nós, o movimento estudantil será retomado".

Ela explicou que a manifestação não visava tomar partido em relação ao que deve ser feito com o Enem, visto que muitos estudantes consideram-se prejudicados com a troca de gabaritos em um dos cadernos. "Queremos apenas uma resposta, que nos deem as opções viáveis econômica e emocionalmente", afirmou. "Temos que ver o que dará mais igualdade", acrescentou.

Em meio às várias faixas e cartazes, uma sugeria que a presidente eleita, Dilma Rousseff, nomeie o deputado eleito, Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), o Tiririca, para o Ministério da Educação. "Pior que 'tá' não fica", dizia o cartaz. Os estudantes iniciaram a caminhada com narizes de palhaço, mas, na metade, obedeceram ao grito de que ninguém ali era palhaço e jogaram fora. "Cara amarela, qual é sua missão? Mudar o ministério, mudar a educação", cantavam os manifestantes.

Estudante de Pedagogia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Fabiano de Jesus reclamou que o governo federal tem procurado ampliar as vagas para as universidades federais, mas, ao mesmo tempo, tem diminuído os recursos. Ele disse temer que, no próximo governo, a UFPR, em razão do Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Ampliação das Universidades Federais (Reuni), adote a aprovação automática de alunos, independentemente do aproveitamento escolar, visto que a meta é ter no mínimo 90% de aprovados, além de haver um aumento de 12 para 18 alunos por professor.

Pernambuco

Estudantes também fizeram uma manifestação na Avenida Conde da Boa Vista, no centro de Recife, em Pernambuco.

AE
Estudantes param o trânsito em Recife

Minas Gerais

Estudantes fizeram uma manifestação na tarde de hoje na Praça Sete no centro de Belo Horizonte, Minas Gerais, contra o descaso com a educação, e contra as falhas na prova do Enem. Os estudantes mineiros  pediram que o Enem fosse cancelado ou que todos que se sentirem prejudicados possam fazer novamente a prova.

Rio de Janeiro

Na tarde desta segunda-feira (15), estudantes fizeram um protesto na orla da praia de Ipanema, na zona sul da cidade. O grupo intitulado "Movimento dos Vestibulandos Ativistas Sem Enem" também participou, na última sexta-feira, de um protesto contra a desorganização do Enem, no centro da cidade, que reuniu 300 pessoas. Eles pediram que o Enem fosse cancelado ou a aplicação novamente da prova para quem foi prejudicado.

Isabela Catão/Futura Press
Estudantes fizeram um protesto contra o Enem, na orla da praia de Ipanema, na zona sul da cidade

(Com informações da Agência Estado)

    Leia tudo sobre: NACIONALGERALeducaçãotrânsito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG