Estudantes consideram prova de domingo do Enem mais fácil

Candidatos disseram que exame foi bastante cansativo, mas dificuldade foi menor do que no primeiro dia

iG São Paulo e Rio de Janeiro |

Seria fácil se não fosse tão cansativa. Para a maior parte dos candidatos, o grau de dificuldade da prova do segundo dia do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) foi menor. Em língua portuguesa era exigido mais leitura e compreensão do que gramática e, quem escolheu espanhol como língua estrangeira foi bem mesmo sem nunca ter estudado o idioma. Matemática também estava menos difícil do que o esperado, e o tema da redação agradou.

"A dificuldade maior era se manter focado e conseguir pensar depois de tantas horas", comenta Isa Elisabete Nogueira de Farias, de 18 anos, que fez a prova em São Paulo. Apesar de nunca ter estudado espanhol, ela escolheu o idioma para responder as questões de língua estrangeira e acha que fez bem. "A não ser que tenha uma pegadinha, a impressão que tive é de que entendi bem o que os textos diziam."

Deivid França Dias, 18, escolheu inglês por ter o curso básico fora da escola e também achou fácil encontrar as respostas. "Não sou bom, mas tenho uma noção e achei melhor pegar o que conhecia. Foi tranquilo", disse.

Matemática ainda é vilã

Na prova do domingo as questões consideradas mais difíceis foram as de Matemática, como de costume. "Não era coisa que a gente nunca tinha visto, mas do jeito que estávamos cansados, ver aquelas tabelas e números embaralhava a vista", diz Daniela de Oliveira de 17 anos.

Estudantes que deixaram o Colégio Coração de Jesus, em Campinas, até 20 minutos após o tempo mínimo de permanência nas salas de aula acharam a prova de Português fácil. "As questões estavam mais fáceis até na hora de interpretar o enunciado", afirmou Wesley Márcio da Rocha Daniel, de 22 anos. "Mais simples até que as das outras vezes que fiz o exame", afirmou ele que passou pelo Enem pela terceira vez e tenta boa colocação para poder ser beneficiado pelo ProUni.

O estudante William Rodrigues da Silva, de 20 anos, disse não ter encontrado problemas nos enunciados e afirmou acreditar em seu bom desempenho. "Tinha mais questões fáceis que difíceis. E estava mais fácil hoje do que ontem", afirmou o garoto que vai prestar comércio exterior.

Para Wesley Santos da Silva, de 17 anos, a prova de matemática ter sido mais fácil já era esperado. O que causou surpresa foi, depois da prova deste sábado, ter encontrado facilidade também nas outras provas. "Acho que me dei melhor hoje", acrescentou.

Cariocas acham tempo curto

As mais de cinco horas de prova foram consideradas insuficientes por muitos candidatos que prestaram exame na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), na zona norte da capital fluminense.

“A prova de matemática exigia muitas contas, era trabalhosa, então precisava de mais tempo”, conta Caroline Figueiredo, 17 anos, que está concluindo o Ensino Médio e planeja cursar Relações Internacionais. “Quando o fiscal avisou que faltavam só dez minutos, comecei a chutar”, afirmou.

Para Caroline, o tema da redação, que versava sobre trabalho e dignidade humana, não foi difícil, mas exigia tempo para organizar as idéias. “Tinha muito o que escrever, mas poderia ter feito melhor se o tempo permitisse”, contou a estudante, que foi a última a sair de sua sala.

A estudante fez a prova de hoje sem corrigir o exame de ontem. “Se conferisse o resultado ontem, a pressão iria aumentar. Então só vou corrigir os testes hoje, depois de descansar”, afirmou.

As irmãs gêmeas Amanda e Mariana Sanches, 17 anos, fizeram a prova em salas diferentes, mas se encontraram logo ao sair. Assim que se reuniram, uma entregou à outra o rascunho da redação, para que cada irmã avaliasse o texto da outra. “A redação foi a parte mais difícil. As provas de hoje [linguagens e códigos e matemática] eu achei fáceis”, contou Amanda.

As duas irmãs cursam o segundo ano do Ensino Médio e ainda não decidiram qual curso universitário farão. “Mas queríamos conhecer a prova, porque em 2011 faremos o Enem para valer”, afirmou Mariana.
O trânsito ficou complicado no final da tarde, nas imediações da UERJ, por conta do movimento causado pelo Enem. Mas, às 19h, já fluía bem.


    Leia tudo sobre: enemprovamatemáticalinguagens

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG