Doméstica aprende a ler aos 25 anos e luta para ser advogada

Maria de Fátima é candidata em Brasília, onde 74.624 pessoas se inscreveram para fazer o Enem neste fim de semana

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Adriano Ceolin
A empregada doméstica Maria de Fátima
A empregada doméstica Maria de Fátima Pereira Silva começou a estudar só partir dos 25 anos por meio do sistema de ensino Educação de Jovens e Adultos (EJA). Agora, aos 46, vai tentar ingressar em um curso universitário de Direito. Ela é um dos 74.624 candidatos do Distrito Federal que participam do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado hoje e amanhã em todo o País.

Com 40 minutos de antecedência, Maria de Fátima chegou ao local marcado para a prova, o Colégio Objetivo, no bairro Asa Sul, em Brasília. Na porta da instituição, ela chamava a atenção em meio à maioria formada por jovens com, 17, 18 e 19 anos. Segundo dados do Ministério da Educação, apenas 771 mil do total de 5,3 milhões de candidatos do Enem têm mais de 30 anos.

Maria de Fátima disse ao iG que só fica “um pouco” intimidada com a garotada. “Mas tenho o meu sonho de trabalhar na área de direito em defesa do consumidor. A gente tem de enfrentar”, disse a empregada doméstica. Ela contou que se preparou para o Enem estudando sempre à noite. “Vamos ver como vai ser”, disse, pouco antes de entrar no local da prova.

A estudante Lhays Lúcia Brito Feliciano, 17 anos, chegou ao colégio para fazer o Enem ao lado de toda a família: o pai, a mãe e o irmão. Seu objetivo é ingressar no curso de Jornalismo. “Quero trabalhar como repórter de televisão”, disse Lhays. Ela contou que estudou cerca de três horas por dia e fez uma série de simulados para a prova.

Além da família, antes de prestar o exame, há quem também conte com o apoio dos amigos. A estudante Luiza Moreira, 17 anos, esperou a amiga Kim Santos, 19 anos, antes de entrar no colégio onde faria a prova hoje. As duas se auxiliaram nos estudos. Kim é melhor em biologia e Luiza domina mais exatas. “Apoio de amiga dá sorte”, disse Kim. Antes de as duas entrarem no colégio, a mãe de Luiza, Angélica Moreira, abraçou as meninas disse: "Muita luz. Vão com Deus".

Até o fim da tarde deste sábado, o Enem em Brasília ocorreu sem incidentes e com tranquilidade. Também houve problemas de trânsito. No colégio onde o iG acompanhou a entrada dos estudantes, apenas um não chegou a tempo para a prova. Outros não puderam fazer o Enem porque não apresentam documento com foto. 

    Leia tudo sobre: Enem 2011provas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG