Coordenadora do Enem em cidade do Piauí nega vazamento

Denúncia foi feita por professores de um cursinho pré-vestibular de Petrolina (PE), citando relato de alunos

AE |

A coordenadora responsável pela aplicação da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em São Raimundo Nonato (PI), Rosa Maria de Oliveira, negou que tenha havido vazamento do tema de redação no município. A denúncia foi feita por professores de um cursinho pré-vestibular de Petrolina (PE), citando relato de alunos.

A coordenadora também afirmou que não foi procurada pela Polícia Federal ou pelo Ministério Público para investigação da denúncia. "Ninguém me procurou para nada. Essa história de vazamento é mentira. Não tivemos problemas com lacre nos malotes ou nas provas. Tudo foi feito conforme as determinações", disse Rosa Maria.

"Os malotes vêm pelos Correios, acompanhados pelo Exército e pela Polícia Militar. Recebemos tudo no horário correto. Os malotes foram abertos com a presença de duas testemunhas, e estavam todos devidamente lacrados", alegou. Segundo ela, em São Raimundo Nonato foram aplicadas as provas do Enem em sete escolas e todas foram supervisionadas. "Não tivemos nenhuma ocorrência, a não ser um recado no portal".

A coordenadora se refere ao site local de notícias "Portal SRN", que divulgou a seguinte mensagem de um internauta: "A cidade aqui está cheia de provas de redação do Enem que vazaram em São Raimundo Nonato. Já se tem a confirmação de que alunos foram orientados, em frente à Facape, sobre o tema da redação e sobre como escrever!". A mensagem foi postada no site por um autor identificado apenas como "Estudante!" às 21h17 de domingo, dia de realização da prova.

A Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) foi um dos locais de realização do concurso em Petrolina. "Não tinha como os alunos de São Raimundo chegarem a Petrolina no dia da prova com essa informação. São pelo menos cinco horas de viagem", defendeu a coordenadora.

O caso de vazamento está sendo investigado pela Polícia Federal do Ceará e da Bahia, já que Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) são separadas apenas por um viaduto. No Piauí, a assessoria da Polícia Federal  não confirmou nenhuma investigação sobre o caso. Nessa terça-feira, a PF em Brasília ainda esclareceu que não houve instauração de inquérito policial para apuração de qualquer fato relativo ao Enem, em razão de não existirem, até o momento, informações suficientes para fundamentar a instauração.

    Leia tudo sobre: EnemVazamentoPiauí

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG