Candidatos começam a deixar locais de prova do Enem

Inscritos no exame têm até as 17h para responder questões de ciências da natureza e humanas

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

Após duas horas, os candidatos mais apressados já começaram a deixar os locais de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O exame começou às 13h e vai até as 17h neste sábado, com provas de ciências humanas e da natureza. Minutos depois, o iG e os professores do Cursinho da Poli publicarão, uma a uma, as respostas corretas comentadas . O gabarito oficial será divulgado apenas na terça-feira, dia 9.

Em São Paulo, no Campus Morial da Universidade Nove de Julho (Uninove), na Barra Funda, zona oeste da cidade, Ernane Neves Fonseca, 25, foi o primeiro a terminar a prova, assim que a organização liberou os candidatos a saírem do local.

O candidato está no segundo semestre da faculdade de administração, já é estagiário, mas mesmo assim veio testar os conhecimentos. Contraditoriamente, disse que a prova está longa e tinha muita coisa para ler. Garante que não chutou, apesar de ter sido o primeiro a sair. Achou difícil, especialmente as questões de ciência da natureza.

Pela manhã, no mesmo campus, participantes do exame estavam ansiosos para as provas e muitos deles começaram a chegar cedo, a partir das 10h. Assim que os portões foram abertos, mais de mil pessoas já formavam a fila.

As irmãs Ana Carolina e Ana Cláudia Gonçalves Pessoa, de 17 e 18 anos, respectivamente, saíram do bairro Santo Amaro, na zona sul, às 9h, e chegaram à Uninove uma hora e meia depois. “Não conhecíamos direito o local do exame e, com a chuva e a ansiedade, achamos melhor vir bem cedo”, contam as estudantes.

Bianca Roberta Pinheiro de Araújo, de 17 anos, também saiu de casa às 9h. Ela, que mora em Perus, na zona norte da cidade, só chegou à Uninove às 10h30. Optou por não almoçar para aguardar em frente ao portão. A garota deseja cursar enfermagem ou medicina em uma instituição pública, mas, apesar de toda a ansiedade, diz que não pretende usar o resultado do Enem para entrar na faculdade no próximo semestre. Acha que tem que estudar um pouco mais. “Eu estudei na minha escola, a E.E. Zuleica de Barros, e em casa o quanto pude, mas sei que a minha meta é muito difícil. Vou ver como é a prova e tentar passar depois do meio do ano”.

No Rio, os prevenidos também chegaram ao prédio da UERJ quando os portões ainda não estavam abertos . Dheisy Martins, 19 anos, já estava lá 40 minutos antes da abertura das salas, que ocorreu ao meio-dia. Ouvindo músicas da banda Red Hot Chilli Peppers, ela tentava se tranquilizar. "Quero fazer biologia na UFRJ", contou. "A prova de amanhã será mais difícil, porque inclui redação".

Entre os que não se adiantaram, a frustração por não chegar na hora chegou a causar desespero. Camila Santos Silva, de 18 anos, se atrasou em um minuto e diz que perdeu um ano . A jovem parou de trabalhar para poder estudar de graça, mas acabou não conseguindo chegar na hora.

Em Brasília, Maria do Carmo, de 24 anos, também acabou o Enem com choro . Por 4 segundos, não conseguiu entrar para prestar o exame. Ela queria usar o resultado do Enem para conseguir uma bolsa do ProUni.

# Colaboraram Severino Motta, iG Brasília, e Fábio Grellet, especial para o iG Rio de Janeiro

    Leia tudo sobre: Enemexame

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG