Candidatos chegam ansiosos aos locais de provas do Enem

Portões fecharam pouco depois das 13h. 4,6 milhões de inscritos têm até as 17h para as questões de ciências humanas e naturais

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

A organização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) abriu os locais das provas ao meio-dia de hoje. Um pouco depois das 13h, os portões foram fechados, e a prova de  ciências humanas e ciências da natureza começou. A movimentação em várias escolas e universidades já era intensa desde o começo da manhã. Cerca de 4,6 milhões de pessoas estão inscritas para as provas que ocorrem neste fim de semana.

Guilherme Lara Campos/ Fotoarena
Estudantes tomam chuva antes de começar o Enem em São Paulo
Em São Paulo, no Campus Morial da Universidade Nove de Julho (Uninove), na Barra Funda, zona oeste da cidade, os candidatos começaram a chegar a partir das 10h. Assim que os portões foram abertos, mais de mil pessoas já formavam a fila. Ansiosos, os candidatos não quiseram dar sopa para o azar. As irmãs Ana Carolina e Ana Cláudia Gonçalves Pessoa, de 17 e 18 anos, respectivamente, saíram do bairro Santo Amaro, na zona sul, às 9h, e chegaram à Uninove uma hora e meia depois. “Não conhecíamos direito o local do exame e, com a chuva e a ansiedade, achamos melhor vir bem cedo”, contam as estudantes. 

Bianca Roberta Pinheiro de Araújo, de 17 anos, também saiu de casa às 9h. Ela, que mora em Perus, na zona norte da cidade, só chegou à Uninove às 10h30. Optou por não almoçar para aguardar em frente ao portão. A garota deseja cursar enfermagem ou medicina em uma instituição pública, mas, apesar de toda a ansiedade, diz que não pretende usar o resultado do Enem para entrar na faculdade no próximo semestre. Acha que tem que estudar um pouco mais. “Eu estudei na minha escola, a E.E. Zuleica de Barros, e em casa o quanto pude, mas sei que a minha meta é muito difícil. Vou ver como é a prova e tentar passar depois do meio do ano”.

O nervosismo não é privilégio somente dos estudantes. Cláudia Godoy, 36, levantou às 6h para acordar a filha Bruna, 17. “Nem precisei do despertador, acho que estou mais ansiosa do que ela”, diz a mãe, que veio de Itaquera até a Barra Funda e vai aguardar a filha até as 17h, horário do término da prova. 

Ainda que a maioria dos candidatos do Enem seja formada por jovens estudantes, a prova também desperta o interesse daqueles que já concluíram o Ensino Médio há tempos. É o caso de Eliz Ângela Félix Cordeiro, 36, que saiu de sua casa, em Parada de Taipas, na zona leste, emocionada com o apoio de seus dois filhos pequenos.

“Mãe, estou rezando por você", disse o caçula, de seis anos, enquanto o mais velho, que tem nove, incentivou: “você vai conseguir”. “Já saí de casa com os olhos cheios d’água por causa deles. Sou segurança e já perdi várias oportunidades de emprego por não possuir um curso superior. Por isso resolvi tentar o Enem, 15 anos após ter saído da escola”, explica Eliz Ângela.

Neste sábado, os candidatos prestam provas de  ciências humanas e ciências da natureza. O tempo mínimo para ficar na sala é de duas horas e o máximo, quatro, até as 17h. Minutos depois, o iG e os professores do Cursinho da Poli publicarão, uma a uma, as respostas corretas comentadas . O gabarito oficial será divulgado apenas na terça-feira , dia 9.

    Leia tudo sobre: Enemprovacandidata

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG