Aplicação e correção do Enem custarão 28% a mais

Dispensa de licitação para contratar o consórcio Cesgranrio/Cespe será publicada nesta quarta-feira

Priscilla Borges, iG Brasília |

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) pagará mais caro este ano para o consórcio que vai aplicar e corrigir as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os 4,6 milhões de inscritos na avaliação. Cerca de 28% a mais do que em 2009.

O contrato de dispensa de licitação que será feito com o consórcio Cesgranrio/Cespe – o mesmo que assumiu a aplicação e correção do exame emergencialmente após o vazamento da prova do ano passado – será publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira.

O documento diz que o custo do Enem será de R$ 27,87 por estudante. Com isso, o MEC deve pagar ao consórcio aproximadamente R$ 128 milhões. No ano passado, o ministério desembolsou cerca de R$ 22 por participante. Segundo o Inep, a justificativa para o aumento é a “ampliação do número de inscritos neste ano, reforço na contratação de pessoal que funcionará como apoio nas unidades de aplicação e atualização monetária”.

A prova será aplicada nos dias 6 e 7 de novembro. O Enem 2010 terá os mesmos moldes do exame aplicado em 2009. O portal iG, em parceria com o Cursinho da Poli, vai publicar a correção online das provas .

    Leia tudo sobre: educaçãoenemcespecesgranrioinep

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG