Advocacia da União diz que recurso do Enem será apresentado na 5ª

Ministro da Educação afirmou que decisão de anular 13 questões prejudica 99,9% dos candidatos

iG São Paulo |

A Advocacia-Geral da União informou que o recurso contra a liminar que anulou 13 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será protocolado na quinta-feira, logo após o feriado. O Ministério da Educação sustenta que o cancelamento dos itens prejudica a maioria dos candidatos e vai insistir na anulação apenas das provas dos estudantes que tiveram acesso.

Na segunda-feira à noite, o ministro Fernando Haddad disse no programa Roda Viva da TV Cultura que a decisão da Justiça Federal no Ceará este ano foi mais plausível do que no ano passado - quando também foi concedida uma liminar no mesmo Estado - mas que o governo recorreria. "A anulação prejudica 99,9% dos alunos" , sustentou.

A presidenta do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), Malvina Tuttman, também havia dito que, caso perdessse, o órgão responsável pela aplicação das provas recorreria da decisão. O recurso será entregue ao Tribunal Regional Federal.

Em nota, o MEC informa que pela Teoria de Resposta ao Item (TRI) o cancelamento das 13 questões em todo o país não afeta a pontuação do Enem, no entanto, "o Ministério da Educação e o Inep entendem que a arguição proposta de cancelar as provas unicamente dos alunos do Christus ou até do complexo educacional da instituição tem um caráter pedagógico e restabelece a isonomia, uma vez que somente aqueles alunos tiveram uma vantagem no tempo dedicado à resolução das 180 questões aplicadas."

Enquanto isso, o procurador Oscar Filho, que iniciou a ação, avisa que pedirá a anulação de mais uma questão que, embora não seja idêntica como as 13 anuladas , é muito semelhante.

Abaixo as questões anuladas:

    Leia tudo sobre: enem 2011christus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG