Governo prevê que número de redações com 3 correções vai triplicar

De acordo com nova regra do Enem, textos que obtiverem notas com discrepância de 200 pontos entre dois avaliadores serão reavaliados. Mais de 6 mil trabalharão nas correções

iG São Paulo |

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) prevê que o número de redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que passam por um terceiro corretor chegue a 1,2 milhão nesta edição, o triplo do registrado em 2011 (379.786) e 29% do total de alunos que fizeram a prova.

O Inep aumentou o rigor na correção dos textos neste ano ao reduzir a nota de discrepância de 300 para 200 pontos . Todas as redações são submetidas à análise de dois corretores - o terceiro atua quando há grande divergência.

Entenda:  saiba como funciona o sistema de correção da redação do Enem 2012

Segundo o presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, os corretores deverão começar os trabalhos no dia 14. Antes disso as redações de todo o País serão digitalizadas. Ao todo, a correção das redações do Enem mobilizará um contingente de 5.683 corretores, 229 supervisores, 12 coordenadores e 462 auxiliares de supervisão. O número representa uma ampliação de 40% em relação ao contingente de corretores em 2011, quando muitas notas da redação provocaram polêmica e algumas chegaram a ser modificadas após questionamentos judiciais .

Todos os profissionais envolvidos na correção da redação passam por um segundo treinamento presencial e a distância desde segunda-feira (5) até a semana que vem. Segundo Luiz Cláudio, o treinamento prepara os corretores para avaliar o tema deste ano: O Movimento Imigratório para o Brasil no Século 21 .

Redação difícil: Tema pode baixar notas da redação no Enem

A previsão do Inep é que o corretores avaliem, no máximo, 100 redações por dia. Luiz Cláudio Costa ressaltou que os corretores serão supervisionados durante todo processo de correção das redações para garantir a qualidade da avaliação.

O avaliador que não corresponder ao padrão exigido pelo Inep poderá ser dispensado das correções. “Nós criamos um fluxo que vai dar muita segurança ao estudante”, assegurou Costa.

Acesso às redações

A partir desta edição do Enem, os alunos terão acesso às redações corrigidas a partir de 15 de fevereiro de 2013, no site do Inep. Entretanto, os candidatos não poderão usar esse acesso como base para recursos na comissão organizadora da prova. O resultado final do exame será divulgado três semanas antes da abertura de acesso à redação, no dia 28 de dezembro.

“Nós estamos garantindo a ele [candidato] todos os recursos na correção para que tenha tranquilidade. E, tendo a nota, poderá reorientar-se, porque esse é o processo educativo. Tenha ele entrado na universidade ou não”, explicou Costa.

*Com Agência Estado e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Enemensino médioredação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG