Enem: provas de quem marcou cor ou transcreveu frase serão corrigidas

Inep diz que, com pelo menos uma das marcações, é possível identificar qual gabarito se aplica à prova do candidato

Priscilla Borges - iG Brasília |

Gabriel Alexandre Araújo, de 17 anos, está muito ansioso desde que terminou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) , no último domingo, mas o desempenho nas provas é o que menos importa para o estudante. Ele teme não ter as provas corrigidas porque se esqueceu de transcrever a frase de sua prova no cartão de respostas.

A dúvida de Gabriel não é isolada. O iG recebeu diversos e-mails de estudantes com a mesma apreensão. Nas redes sociais, também é possível encontrar depoimentos de candidatos que deixaram de cumprir o protocolo exigido pelo Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Desde o ano passado, o órgão responsável pelo Enem introduziu o mecanismo de segurança , em que o estudante precisa preencher no cartão de respostas a cor da prova que resolveu e colocar uma frase que está no caderno de provas. As duas coisas identificam para o Inep qual a cor da prova do candidato e, portanto, qual gabarito deve ser usado para correção.

Redação: Integração social é a solução apresentada por alunos 

No edital, está dito que os dois procedimentos devem ser feitos pelos candidatos preenchidos para que as provas sejam corrigidas (item 14 do edital). No entanto, no ano passado, alunos relataram ter deixado algum dos dois campos equivocadamente em branco e tiveram as provas corrigidas . O iG procurou o Inep para esclarecer o tema.

De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, os cartões de provas que tiverem pelo menos um dos dois campos preenchido corretamente serão corrigidos. Cada frase está ligada a uma cor de prova, por isso é possível a identificação. Só não serão corrigidos os cartões dos alunos que deixaram as duas informações em branco ou marcaram errado a cor da prova e deixaram de anotar a frase (porque aí não é possível identificar a cor correta).

Extra-oficial: Confira a correção completa do Enem

Gabriel havia procurado explicações no atendimento por telefone do Ministério da Educação. Os atendentes, no entanto, haviam explicado que ele só saberia se as provas seriam consideradas válidas no dia 28 de dezembro, quando está prevista a divulgação do resultado do Enem. “Não posso esperar de mãos atadas até lá. É muita coisa em jogo, um ano de estudos, cursinho, sonhos”, afirmou ao iG .

Insegurança

Morador da cidade de Itabirito, em Minas Gerais, Gabriel quer cursar Jornalismo. Estudante de escola pública, sua primeira opção é a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “Preciso saber se minha prova vai valer. Eu entreguei o cartão aos aplicadores e perguntei se estava tudo certinho. Eles disseram que sim e eu saí. Só depois que sai de lá me lembrei que não tinha transcrito a frase”, afirma.

Mônica Souza, 30 anos, vive a mesma aflição que Gabriel. Técnica em Enfermagem, ela fez o Enem pela primeira vez. Sua ideia é usar as notas do exame para disputar uma bolsa do Programa Universidade para Todos (Prouni) em Fisioterapia. “Tenho uma filha especial de cinco anos e queria muito ser fisioterapeuta para ajudá-la mais. Só que não tenho condições de pagar uma faculdade”, conta.

Leia também: Avaliação do Enem feita por professores sobre cada eixo temático

Assim como o estudante de Minas, Mônica procurou respostas na central telefônica do MEC. As atendentes disseram a ela que, se todos os campos não estivessem preenchidos, como diz o edital, o cartão não seria corrigido. Exatamente a informação do edital. “Mas eu pesquisei e vi que, no ano passado, aconteceu o mesmo com algumas pessoas e foi reconsiderado. Tenho esperança”, disse ao iG , antes de o Inep confirmar a possibilidade de correção.

Moradora de Curitiba, ela conta que os fiscais lembraram aos alunos a importância de preencher o cartão. No primeiro dia, ela fez tudo corretamente. Já no domingo, último dia de provas, ela transcreveu a frase assim que recebeu o cartão de respostas. Por um descuido, no entanto, deixou em branco o local da cor. Só se lembrou quando estava no pátio da faculdade onde fez a prova. Mas não a deixaram voltar à sala.

“Fiquei bem chateada, porque me esforcei muito em casa”, lamentou.


Veja imagens da aplicação do Enem no último fim de semana:

    Leia tudo sobre: Enem 2012eneminepMECcartão-resposta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG