Maioria das vagas do Sisu será preenchida na lista de espera

Segunda chamada de aprovados no meio do ano convocou entre 70% e 85% das vagas disponíveis nas universidades

Tatiana Klix - iG São Paulo |

Os candidatos que não passaram na primeira ou segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre ainda não precisam recomeçar a estudar para o próximo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) . Embora o Ministério da Educação não divulgue o número de vagas já preenchidas das 30.548 oferecidas , a maior parte delas não foi ocupada na primeira fase de matrículas.

Leia também: Mesmo matriculados, estudantes se inscrevem no Sisu e no Prouni

Nesta terça e quarta-feira (17 e 18), os convocados em segunda chamada devem confirmar a matrícula nas instituições para as quais foram aprovados . Se a tendência da primeira etapa se confirmar, mais de 50% das vagas ainda estarão disponíveis para a lista de espera.

Segundo o iG apurou, as universidades chamaram na segunda fase alunos para preencher entre 70% e 85% das vagas oferecidas. Na Universidade Federal do Ceará (UFC), a segunda com mais inscritos no Sisu do meio de ano (108.574), apenas 28% dos candidatos já se inscreveram. A instituição ofereceu 1637 vagas, mas apenas 450 realizaram matrícula. O índice é inferior ao registrado na primeira seleção do ano, quando quase 60% das vagas foram ocupadas já na primeira chamada.

O percentual é parecido em instituições com menos inscritos e menos vagas, como a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), que ofereceu 292 vagas e preencheu 68. Restam 76%. Na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) o percentual total é ainda mais alto. Das 1190 vagas oferecidas, 187 foram preenchidas. A segunda chamada convocou 1003 candidatos, 85% do total.

Segundo o coordenador de Sisu da UFC, Miguel Franklin, o número de vagas ainda disponíveis não preocupa, porque as chamadas pelo sistema centralizado não são tão eficientes como a lista de espera.

“O importante é que no final não restem vagas desocupadas”, afirmou.

Franklin atribui o baixo índice de comparecimento às matrículas a vários fatores. Como os candidatos podem concorrer com a nota do Enem do ano passado, não custa aos alunos se inscrever novamente. Muitos estudantes já matriculados se candidatam apenas para testar se passariam ou para engrossar estatísticas de aprovação de cursinhos preparatórios. Mas há também aqueles que não se matriculam porque foram escolhidos para a segunda opção e estão esperando uma vaga no curso preferido, segundo o professor.

O fenômeno não passou longe nem da instituição com maior número de inscritos  (152.196). A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) não divulgou o número total de vagas preenchidas, mas segundo a pró-reitora de graduação Ângela Rocha, é de aproximadamente um terço. Pelo site do Sisu , é possível constatar a tendência: o curso de Medicina, tradicionalmente uma das carreiras mais disputadas, convocou 62 estudantes na segunda chamada. Isso significa que apenas 34 se matricularam para a turma de 96 alunos, o que corresponde a 35%. Já o de Engenharia Civil oferece 60 vagas, mas apenas nove candidatos se matricularam (15%).

A professora Ângela Rocha não se surpreende com os números. “É assim mesmo, no primeiro semestre aconteceu a mesma coisa. Mas acabamos preenchendo todas as vagas”, conta. A expectativa da UFRJ é trabalhar com cerca de 1.000 vagas na lista de espera – das 3591 em disputa no segundo semestre. Para ela, isso ocorre na UFRJ porque o Sisu facilita a inscrição de candidatos de outros Estados e muitos têm o sonho de morar no Rio de Janeiro, mas acabam desistindo na hora de concretizar a mudança.

Segundo Rocha, não há preocupação em gerar vagas ociosas no primeiro semestre, porque ao fim das chamadas da lista de espera todas são preenchidas. No entanto, o Sisu também facilita quem já está matriculado a se inscrever na seleção do segundo semestre e isso gera algumas desistências. Na UFRJ, 348 alunos do primeiro semestre se candidataram novamente. Desses, cerca de 220 confirmaram matrículas em novos cursos.

A UFRJ começou a usar o Sisu como única forma de seleção este ano e deverá manter assim pelo menos até 2014. Em março de 2013, a universidade vai fazer uma avaliação do processo. Para a pró-reitora, é preciso estabilizar as regras de seleção por pelo menos dois anos, para todos se acostumarem, antes de tirar qualquer conclusão sobre a eficiência do sistema.

Os interessados na lista de espera do Sisu devem se inscrever até o dia 19 de julho, e a convocação para preencher as vagas restantes começa no dia 24 de julho nas instituições.

Veja fotos de universidades que oferecem vagas no Sisu do meio do ano:

    Leia tudo sobre: SisuUFRJUFCuniversidadesensino superior

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG