Multinacionais europeias anunciaram a construção do maior projeto de energia solar do planeta: uma megausina solar no Deserto do Saara, no norte da África.

O projeto é politicamente correto. Empresas gigantes pretendem construir uma rede de produção de energia totalmente limpa, capaz de fornecer pelo menos 15% da eletricidade consumida em toda a Europa, além de suprir dois terços da demanda do norte africano e do Oriente Médio.

O plano batizado de Desertec teve o custo orçado em US$ 577 bilhões e utilizará uma tecnologia solar de última geração. Basicamente, serão usados espelhos para concentrar a luz do Sol sobre torres de energia, que irão produzir vapor, movimentando turbinas e assim produzindo eletricidade.

Todo calor excedente produzido durante o dia será armazenado em tanques especiais e utilizado no período da noite ou em dias de muita nebulosidade.

Especialistas sugerem ainda que a sombra dos espelhos poderia ser usada para plantação de espécies que normalmente não sobreviveriam ao intenso calor do deserto.

Estão envolvidas no projeto, grandes empresas como a Siemens, RWE e Deutsche Bank.

Foto: Painel Solar parabólico utiliza espelhos curvos para concentrar o calor sobre a célula de aquecimento. Crédito: Desertec-usa.


Leia mais sobre: Energia solar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.