Em Pernambuco, uniformes chegam com atraso

Estado está entre os 11 que fornecem peças aos seus estudantes, mas roupas chegam depois do início do ano letivo

Renata Baptista, iG Pernambuco |

Pernambuco está entre os 11 Estados brasileiros que fornecem uniforme escolar aos seus estudantes, conforme levantamento realizado pelo iG . O kit do governo é composto de duas camisetas com o logo da rede estadual, uma mochila e materiais escolares. Apesar de o ano letivo ter começado em fevereiro, nem todos os alunos da rede receberam o material.

Renata Baptista/iG
Os estudantes Marissol, Yasmin, Matheus, Mariana e Manuela exibem as mochilas doadas pelo Estado
Segundo a Secretaria Estadual de Educação, a distribuição é feita de forma escalonada e deve ser concluída até a primeira quinzena de abril. Na Escola Bartolomeu de Gusmão, em Jaboatão dos Guararapes (região metropolitana de Recife), o material chegou apenas na semana passada, mas ainda não foi repassado aos estudantes. De acordo com o governo, até o fim desta semana os alunos da região metropolitana estarão com as camisas dos uniformes, mochilas e kits escolares em mãos.

Já na Escola Manoel Barbosa, no bairro de Boa Viagem, no Recife, os cerca de 400 alunos estão utilizando o uniforme e material doado. Para que todos recebam, foram investidos R$ 72 milhões em todo o Estado, a um custo de R$ 98,20 por aluno.

De acordo com alguns dos pais entrevistados pelo iG , cada aluno recebeu duas camisetas. "Quando uma camisa é usada, a outra está sendo lavada", disse a diarista Viviane Betânia da Silva, de 22 anos, mãe de Luan Vinícius, de 7 anos. Ela sente falta, no entanto, de um short ou bermuda no pacote. "É que as crianças estragam muita roupa."

A auxiliar administrativa Ana Lúcia Silva, de 24 anos, concorda com Viviane, e afirma que o ideal era ter também sapatos e meias, que são os maiores gastos que ela tem com os dois filhos Emily, de 6 anos, e Guilherme, de 4 anos. "Mas as camisas já são uma grande ajuda", disse.

Renata Baptista/iG
Ana Lúcia Silva, mãe de Emily e Guilherme, gostaria que o governo distribuísse sapatos e meias
Para Jeane Maria da Silva, de 28 anos, o problema é a incerteza de quando as crianças vão receber as camisas e o material. Como no ano passado o kit só chegou na metade do ano, ela afirmou ter comprado cadernos e mochila para que a filha Mariana, de 10 anos, não se prejudicasse no retorno das aulas.

Outros Estados

Nos 15 Estados brasileiros nos quais o governo não fornece uniforme, os pais têm que arcar com os custos da compra das roupas. Algumas redes incentivam escolas a promoverem formas de fornecer uniformes aos alunos carentes.

No Paraná, por exemplo, a lei 14361 de 2004 determina que Conselhos Escolares e as Associações de Pais Mestres de cada escola pública estadual que opte pela adoção de uniforme escolar criem um fundo financeiro para aquisição de uniformes destinados àqueles que manifestarem falta de condições financeiras.

Em Mato Grosso, escolas arrumam patrocínio para ajudar a custear os uniformes ou acrescem de R$ 0,50 a R$ 1,00 no valor das peças para fazer caixa e bancar camisetas para estudantes sem condições de pagar. Segundo a Secretaria de Educação, as 720 escolas da rede estadual do Estado têm total autonomia para decidir como farão a distribuição e a venda dos uniformes.

Todas as secretarias de educação enfatizam que os estudantes não podem ser impedidos de assistir às aulas caso estejam sem uniformes.

* Colaborou Marina Morena Costa, iG São Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG