Mais de 50 escolas da região metropolitana de Belo Horizonte foram afetadas por paralisação nesta terça

selo

Os professores da rede privada de ensino da região metropolitana de Belo Horizonte decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia e atingiu nesta terça, dia 22, mais de 50 escolas de Belo Horizonte, de forma parcial ou integral. 

Os docentes recusaram a contraproposta patronal que prevê reajuste de 6,53% para quem ganha acima do piso, e de 7,5% para quem recebe o piso. Eles reivindicam 12% de reajuste salarial, além de equiparação dos pisos da educação infantil, regulamentação da educação a distância, mudança da data-base para 1º de abril, eleição de delegados sindicais a cada 50 trabalhadores na instituição de ensino, seguro de vida e criação de comissão, no interior das escolas, para tratar de assuntos relacionados à violência no ambiente escolar e à saúde da categoria. 

Na próxima quinta-feira, 24, haverá uma reunião entre o sindicato dos professores (Sinpro Minas) e o sindicato patronal (Sinep-MG) para tentar resolver o impasse. Na sexta-feira, 25, os grevistas se reunirão novamente para decidir se prosseguem com a paralisação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.