Em aula inaugural na Unila, Lula pede integração latino-americana

Presidente falou para professores e funcionários da Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Agência Brasil |

A aula inaugural da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), em Foz do Iguaçu, foi proferida na tarde desta quinta-feira, dia 2, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente falou para professores e funcionários da universidade, além de operários que participaram da construção de Itaipu. Cerca de 200 estudantes brasileiros e estrangeiros (da Argentina, do Paraguai e do Uruguai) estão matriculados nos seis cursos oferecidos pela instituição, criada em janeiro com o objetivo de contribuir para o processo de integração dos países latino-americanos.

Segundo Lula, a Unila é uma das 14 instituições federais criadas no atual governo e integra um esforço que, segundo ele, é inédito para ampliar o acesso da juventude mais carente ao ensino de qualidade. “Faz parte de um mutirão que está implantando 117 extensões universitárias em todo o território brasileiro. Inclui a criação de 704 mil bolsas de estudo do ProUni [Programa Universidade para Todos], além da ampliação de vagas de ingresso nas instituições federais, que passaram de 113 mil para 249 mil por ano”.

Sobre a Unila, Lula disse que “é um caso especial, suas portas se abrem para toda a América Latina, metade dos seus futuros 10 mil alunos e 250 professores virão de países irmãos”. O presidente lembrou que, além das ligações culturais, a América Latina já é o mais importante destino das exportações brasileiras. “De janeiro a julho deste ano, 46,7 % das nossas vendas de manufaturados foram para o mercado regional. Mas não se transforma uma região só com laços comerciais” – observou o presidente.
Para o presidente, ainda falta muito para consolidar a integração entre os países, mas grandes passos estão sendo dados nesse sentido. “Depois de 200 anos estamos aprendendo a andar com nossas pernas, enxergar com nossos olhos, falar pela nossa boca e pensar pela nossa cabeça. Isso quer dizer que estamos conquistando verdadeiramente nossa independência. A criação da Unila, mais importante que uma estrada ou uma ponte, está nos alunos que estão aqui, que são a integração, o futuro da América Latina”, concluiu o presidente.

Segundo o Ministério da Educação, serão investidos cerca de R$ 306 milhões na construção da primeira fase do campus definitivo da Unila, que está funcionando provisoriamente na sede da Fundação Itaipu Binacional.

    Leia tudo sobre: unilalulauniversidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG