Doutorado e "graduação-sanduíche" são alvos de bolsas do governo

Ministro da Educação diz que modalidades serão a prioridade do governo; Dilma anunciou que irá conceder 75 mil bolsas no exterior

Agência Brasil |

Brasília – O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse na noite da última terça-feira (26) que o plano de expansão de bolsas de intercâmbio deverá mirar o doutorado e a “graduação-sanduíche”, na qual o aluno estuda metade do curso no País e o restante em uma instituição estrangeira. Mais cedo, a presidenta Dilma Rousseff anunciou ter a intenção de conceder 75 mil bolsas de estudos para brasileiros no exterior até o fim de seu mandato, em 2014.

Segundo Haddad, atualmente o Brasil envia para o exterior cerca de 6 mil estudantes do ensino superior. A decisão da presidenta de ampliar esse número de bolsas foi a partir de um diagnóstico de custos feito pelo Ministério da Educação (MEC). Em reunião, o MEC sugeriu que o alvo das bolsas fosse no doutorado em áreas estratégicas como engenharia e física e na “graduação-sanduíche”.

“Na avaliação da Capes [Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior], a 'graduação-sanduíche' tem forte impacto no sistema educacional brasileiro porque não é só um indivíduo beneficiado, ele volta para a sua instituição antes da conclusão e os efeitos benéficos dessa forma de bolsa estão sendo muito apreciados pelo sistema”, disse Haddad.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG