Neste domingo foi aplicada a prova dissertativa com questões de ciências humanas e de ciências da natureza e matemática

A Universidade Estadual de São Paulo divulgou o caderno de provas do primeiro dia da segunda fase do vestibular de meio de ano. Veja a prova de Conhecimentos Específicos e Redação - Ciências da Natureza e Matemática e a prova de Conhecimentos Específicos e Redação - Ciências Humanas .

Neste domingo foi aplicada a prova dissertativa de conhecimentos específicos. Os candidatos responderam a 24 questões de ciências humanas e de ciências da natureza e matemática. Nesta segunda-feira, a avaliação consistirá em 12 questões e um texto. A duração máxima da prova de de cada será de 4h30.

No exame mais concorrido já realizado pela instituição, com 24,3 candidatos por vaga, são oferecidas 510 vagas para as unidades de Bauru, Dracena, Ilha Solteira, Ourinhos, Registro e Sorocaba.

A prova

Os vestibulandos que fizeram as provas acharam que a parte de humanas estava fácil e que exatas estava um pouco mais difícil. Uma característica forte da prova apontada pelos estudantes foi ela ter muitas questões envolvendo assuntos da atualidade, como o terremoto no Japão e os conflitos em países árabes. “A prova não estava complicada. Caiu muita atualidade e acho que esse deve ser o foco dos cursinhos agora”, conta Mariane Hassen, 19 anos, que está tentando entrar no curso de geografia.

A mesma opinião é compartilhada por Marina Pompeo, 16 anos, que também prestou geografia, mas apenas para treinar, já que se forma no fim desse ano e pretende cursar uma faculdade de Direito. “Faculdade pública tem que ter a prova assim. Acho importante estar ligado no que acontece no mundo e não saber apenas as teorias”, disse Mariana. O colega dela, Mateus Saito, 17 anos, prestou para engenharia elétrica também só para treinar. “A segunda fase é a mais importante para a gente, não temos muitas provas dissertativas como forma de treinar na escola ou no cursinho”, argumenta.

Marcel Gobbi, 21 anos, já desistiu de duas faculdades – Engenharia de Materiais na Unesp e Matemática na USP – e agora tenta entrar para o curso de Engenharia Ambiental. “Achei a prova tranquila, só que química foi mais complicado. Tinha muita química orgânica”. A prova de química também foi um obstáculo para Gabriel de Oliveira Carrapatoso, 20 anos. Ele presta para Geografia e quando questionado sobre a prova de exatas, deu risada. “Humanas estava razoável, mas exatas nem sei dizer”, conta. Carrapatoso foi fazer a prova vestindo a camiseta da seleção brasileira e ao sair da prova brincou com o fato de estar fazendo a prova durante o jogo do Brasil na disputa da Copa América. “Esse é só o primeiro jogo, não tem problema [não ver a partida].”

Prova mais gostosa
Nathalia Duarte, 16 anos, tem vontade de cursar Medicina e prestou zootecnia na Unesp por ter as mesmas matérias que ela precisa fazer no fim do ano. Ela achou a prova mais gostosa de fazer do que a de outras universidades. “Não tava difícil, mas é uma prova mais complexa. Ao mesmo tempo, é mais gostosa de fazer do que o vestibular da Fuvest e da Unicamp. As questões usam mais atualidades.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.