Diretor da escola no Cantagalo promete nota melhor já no próximo Ideb

Com turno integral, aulas de reforço e ajuda de projetos sociais vizinhos, professor quer levantar autoestima de alunos e docentes

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

Raphael Gomide
Diretor da escola no Cantagalo pretende melhora no Ideb já neste ano
O novo diretor do Ciep (Centro Integrado de Educação Pública) Presidente João Goulart, no Morro do Cantagalo, Roberto Ferreira Emygdio, desde maio na função, afirmou ao iG que escola já terá considerável melhora no resultado do próximo Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), a partir das mudanças feitas pela Secretaria Municipal de Educação.

Como o iG mostrou, o colégio teve a pior nota da rede municipal no Ideb – 1,8 em 10 pontos possíveis –, embora fique em complexo que inclui o Espaço Criança Esperança, o grupo cultural Afroreggae e seja frequentemente visitado por políticos e turistas.

Emygdio disse que trabalha para elevar a autoestima dos alunos e professores. A direção anterior foi afastada, após o resultado negativo na avaliação e a falta de evolução nos meses seguintes.

“Com certeza, teremos melhora no próximo Ideb. Acredito muito nas crianças, na equipe de professores, em Deus e na Secretaria de Educação”, afirmou Emygdio, que é professor de matemática do município há 15 anos. “Assumi, há três meses, com o compromisso de trabalhar na melhoria do desempenho dos alunos, levantar a autoestima deles e dos professores e fortalecer o ensino”, disse.

O colégio agora integra o programa “Escolas do Amanhã” e tem turno regular de 7 horas diárias, além de mais duas horas de reforço diárias, com estagiários. O turno único passou a durar de 7h30 às 16h30, e o Ciep serve almoço e jantar para os 482 alunos, do pré-escolar ao 9º ano. A João Goulart passou a fazer parte do “Nenhuma Criança a Menos”, estratégia de reforço escolar para os 10% dos alunos e as 116 escolas com o pior desempenho na Prova Rio. Também recebeu o ‘Bairro Educação’, conjunto de atividades que o integram ao bairro.

Raphael Gomide
Escola do Cantagalo, porta ao lado da bandeira do Brasil, teve o pior desempenho no Ideb apesar do ambiente cultural ativo
Projetos sociais são 'fundamentais', diz diretor

Na opinião de Emygdio, os projetos sociais disponíveis no mesmo complexo da escola são “fundamentais” para os seus alunos e para as demais crianças e jovens do Cantagalo e do Pavão-Pavãozinho, morro vizinho.

“Quanto mais você ocupar a cabeça dos jovens, menos problemas e mais futuro. Esse diferencia é fundamental para ajudar as crianças a crescer querendo ser alguma coisa e ter uma ocupação”, afirmou.

De acordo com o diretor, já existe integração e parceria da escola com os projetos sociais existentes no local.

    Leia tudo sobre: CantagaloIdebCriança EsperançaEducaçãoRioGoulart

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG