Desigualdade entre escolas públicas cresce em 14 Estados

Estudo mostra que diferenças na qualidade do ensino de instituições públicas não estão sendo reduzidas

Agência Brasil |

Embora os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) indiquem que a qualidade do ensino nas escolas públicas brasileiras tem melhorado, o bom desempenho de um estado ou município na avaliação não garante que todas as crianças daquela região tenham acesso à aprendizagem de qualidade. É o que aponta um estudo do Movimento Todos pela Educação feito a partir dos dados do Ideb de 2009.

“Embora as notas estejam crescendo, as desigualdades entre as escolas não estão sendo reduzidas”, aponta o conselheiro do Todos Pela Educação, Mozart Neves Ramos. Dentro de uma mesma rede, há uma grande variação de resultados entre as escolas.

Entre 2005 e 2009, a disparidade entre os índices das escolas cresceu em 14 das 27 redes estaduais, segundo o estudo. Nas redes municipais também existe essa variação. Nas capitais, chega a 51% a diferença entre as notas máximas e mínimas das escolas municipais, como ocorre em Vitória, no Espírito Santo. No Rio de Janeiro e em Palmas a variação também é superior a 40%.

O Ideb foi criado em 2005 para avaliar a qualidade do ensino. Cada escola, rede municipal e estadual recebe uma nota calculada a partir dos dados sobre aprovação escolar e médias de desempenho nas avaliações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). A média nacional em 2009 foi de 4,6 pontos, em uma escala de 0 a 10. A meta é que o país atinja a nota 6 até 2022.

Na avaliação do conselheiro, o resultado indica que o secretário de Educação deve olhar o resultado do Ideb do seu estado ou município com “uma lupa” para evitar que as crianças de uma mesma rede tenham “perspectivas de desenvolvimento educacional diferentes”.

A análise revela ainda que quanto menor a nota do Ideb de uma rede (municipal ou estadual) maior é a variação das notas entre as escolas. Nas redes com melhor desempenho, mais alunos têm acesso à educação de qualidade. Entre as regiões, o Sul e o Sudeste apresentam maior qualidade e mais equidade, enquanto o Nordeste, que tem os piores resultados, é o local em que há mais disparidade entre as notas das escolas.

    Leia tudo sobre: idebescolasavaliação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG