Deputados mirins aprovam três projetos

BRASÍLIA - Os assentos do Plenário da Câmara dos Deputados foram ocupados, na manhã da última quinta-feira, por 341 parlamentares especiais, os deputados mirins. Vindos de sete Estados e do Distrito Federal, debateram e aprovaram três projetos de lei elaborados por outros estudantes do ensino fundamental.

Redação com agências |

Acordo Ortográfico

O primeiro projeto aprovado, de autoria da deputada mirim Sthepanie Gabriele Nogueira Calixto Ferreira, 12 anos, de São José dos Campos (SP), obriga o poder público a imprimir o valor das cédulas de dinheiro em braile, visando facilitar a vida do deficiente visual.

Em seguida, discutiram o projeto do deputado mirim Frederico Fraga Nascimento, 14 anos, de Guanambi (BA), no qual obriga que toda instituição governamental, comercial, escolar e outras mantenha, a cada dez funcionários, um habilitado a exercer os primeiros socorros em caso de acidente. O projeto também foi aprovado em votação simbólica.

Já a terceira proposta aprovada visa obrigar as escolas públicas a implantar o projeto de controle e combate à verminose, de autoria do deputado mirim Eustáquio Stemler de Godói Quintão, de 13 anos, Belo Horizonte (MG).

Entre os 400 participantes da terceira edição da Câmara Mirim estavam estudantes de escolas públicas e particulares do Amazonas, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Alagoas e do Distrito Federal. Parlamentares poderão adotar estas iniciativas, assim como já ocorreu com alguns projetos de lei apresentados em edições anteriores da Câmara Mirim, que foram apadrinhados por deputados e hoje tramitam em comissões da Casa.

Leia mais sobre: Deputados Mirins

    Leia tudo sobre: deputados mirinseducação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG