Defensoria Pública pede recolhimento de livro com "nós pega"

Órgão quer que Ministério da Educação retire obra de circulação. Haddad é contra

iG São Paulo |

A Defensoria Pública da União no Distrito Federal (DPU/DF) entrou na semana passada com ação para que o Ministério da Educação (MEC) seja obrigado a retirada de circulação os 485 mil exemplares do livro de língua portuguesa Por uma Vida Melhor, da Coleção Viver, Aprender.

O conteúdo do livro foi assunto dos jornais nas últimas semanas por considerar válido o uso da língua popular, mesmo que com erros gramaticais. Para o Defensor Público Federal Ricardo Salviano, autor da ação, as incorreções e as informações confusas presentes no material didático podem tornar-se um entrave para o pleno desenvolvimento dos estudantes, impedindo a inclusão social, o que fere o princípio da dignidade da pessoa humana.

Na avaliação do Defensor, a atuação da DPU se justifica devido à metodologia utilizada pela autora do livro consistente no emprego da linguagem falada desprovida do respeito à norma culta. “Não se pode partir da premissa de que se deve permitir que o aluno fale errado para ensiná-lo a escrever de forma correta. A retórica da argumentação é ilógica”, explica.

Para Salviano, a linguagem informal existe e é importante que os alunos tenham consciência disso, mas o uso da norma culta deve sempre prevalecer, de maneira que o professor deve instruir o aluno a se expressar com a devida eloquência.

Nesta terça-feira, o ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que as críticas ao livro são injustas e que a maioria falou da obra sem ler, no que comparou a uma atitude fascista .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG