De 90 faculdades sem aprovados na OAB só 16 têm avaliação do MEC

Entre as demais, metade ficou sem conceito e outras não aderiram ao último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade)

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou nesta terça-feira uma lista com 90 faculdades de Direito em que nenhum do inscritos no último exame foi aprovado . Entre estas, apenas 16 tinham um Conceito Preliminar de Curso (CPC) no Ministério da Educação – quase todos razoáveis. Os outros 74 não receberam avaliação do governo.

Destes últimos, 33 não constam no ranking de cursos superiores baseado no Exame Nacional de Estudantes (Enade) de 2009. Segundo o MEC, são instituições que não aderiram à avaliação ou não possuíam o curso no ano avaliado, também é possível que haja uma mudança de nome que não permita ao aluno pesquisar a instituição com a denominação atual.

Outras 41 faculdades aparecem na lista, porém sem conceito. Neste caso, a explicação seria a falta de alunos suficientes que tenham prestado a prova do ministério.

Dos 16 que avaliados na escala de 1 a 5, cinco tiveram dupla nota 2 (no CPC e no Enade), considerada insatisfatória e passível de processo e fechamento das vagas: Faculdade Casto, no Espírito Santo; Faculdade Anhanguera de Osasco e Faculdade da Aldeia de Carapicuíba, em São Paulo; Faculdade de Olinda, em Pernambuco; e Faculdades Integradas do Vale do Ivaí, no Paraná.

Outros seis, ficaram com conceito 3, tido como razoável: União das Escolas do Grupo Faimi de Educação, Faculdade Politécnica de Campinas e Centro Universitário Central Paulista, em São Paulo; Faculdade São José, no Rio de Janeiro; e Centro Universitário Central Paulista, em São Paulo. Há ainda dois com conceito 4 - Faculdade Unidade de Suzano e Centro Universitário Barão de Mauá, em São Paulo – e três em que o Enade e o CPC variam: Faculdade Campo Limpo Paulista, em São Paulo (respectivamente 2 e 3), Faculdade Gama e Souza, no Rio de Janeiros (1 e 3) e Instituto de Ensino Superior de Foz do Iguaçu (4 e 3). Todos sem nenhum aprovado no exame da OAB.

MEC fechou 34 mil vagas

O Ministério da Educação ressaltou que já faz o acompanhamento sugerido pela entidade. Por conta disso, um total de 34 mil vagas de ingresso em cursos de direito com resultados insatisfatórios nas avaliações já foram suspensas por determinação do Ministério da Educação.

Em 2007, teve início uma supervisão especial em cursos com resultado insatisfatório no Exame Nacional de Avaliação de Desempenho de Estudantes (Enade) de 2006, que resultou na suspensão da oferta de 24 mil vagas de ingresso. Em junho deste ano, a partir do processo de regulação, 136 cursos tiveram que reduzir, por força de medida cautelar, 10.912 vagas de ingresso de estudantes, por vestibular ou outros processos seletivos, em virtude de terem apresentado resultado insatisfatório no conceito preliminar de curso (CPC) de 2009 – obtiveram nota 1 ou 2 em uma escala que vai até 5. A suspensão da oferta de vagas é obrigatória até a renovação de reconhecimento dos cursos. Caso o curso mantenha o resultado insatisfatório, a determinação pode tornar-se definitiva.

Faculdade diz que alunos ainda não estão formados

A Faculdade de Extrema, uma das que teve zero aprovados, enviou nota em que esclarece que os cinco alunos que fizeram o exame da OAB  estavam no nono período da graduação, ou seja, ainda não formados e realizaram a prova apenas como treineiros. A Faculdade ainda não tem alunos graduados no curso de Direito, motivo pelo qual está entre as que ainda não tem conceito do MEC.

    Leia tudo sobre: cursos de direitooab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG