Números preliminares do Censo da Educação 2008 mostram que o ensino médio voltou a crescer no País, ainda que modestamente. Os dados, que foram publicados hoje no Diário Oficial, apontam um aumento de 400 mil alunos no ensino médio estadual e municipal, o que representa quase 7% mais estudantes do que em 2007. http://images.ig.com.br/publicador/ultimosegundo/arquivos/cdocuments_and_settingscsassodesktopdados_preliminares.xls target=_blankhttp://images.ig.com.br/publicador/ultimosegundo/arquivos/cdocuments_and_settingscsassodesktopcenso_escolar.pdf target=_blankVeja o documento na íntegrahttp://images.ig.com.br/publicador/ultimosegundo/arquivos/cdocuments_and_settingscsassodesktopcenso_escolar.pdf target=_blank

Acordo Ortográfico

Já no ensino fundamental, a tendência de queda se mantém, com 1,37 milhão de alunos a menos do que no ano anterior - redução de 4,8%. Os dados preliminares mostram também uma redução na educação infantil, mesmo que de apenas 2,8 mil crianças.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), estão matriculados 4.943.410 alunos na educação infantil no ensino regular e 36.802 estudantes na educação infantil especial, totalizando 4.980.212.

No ensino fundamental, os dados mostram que, em todo o País, 27.533.632 estão matriculados no ensino fundamental regular e outros 341.055 no ensino especial, que abrange alunos de escolas especiais e classes especiais.

Já no ensino médio, o Inep aponta que estão matriculados 7.012.476, sendo 6.998.299 no ensino regular e 14.177 na educação especial.

Os municípios e Estados terão 30 dias para fazer correções - só então o Ministério da Educação (MEC) terá os dados definitivos. Já se sabe, por exemplo, que 1,2 mil escolas de São Paulo e 210 de Goiás não conseguiram enviar informações a tempo.

Os dados foram publicados agora para que as correções possam ser feitas, já que servirão de base para a distribuição dos recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (FNDE).

Leia mais sobre: Censo da Educação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.