Com 10 mil professores parados, Minas diz que greve está acabando

Governo do Estado afirma que paralisação está concentrada em Belo Horizonte e que só atinge 6,53% do total de docentes

Denise Motta, iG Minas Gerais |

nullA secretaria estadual de Educação de Minas Gerais divulgou nesta quinta-feira (22) que os professores grevistas por melhoria salarial estão retomando suas atividades nas escolas. A melhora, contudo, ainda é lenta.

Conforme dados da própria secretaria, mais de 10 mil professores permanecem sem dar aulas na rede pública, o que representa 6,53% do número de docentes. Na última sexta-feira (16), a Justiça de Minas Gerais determinou que os professores retomassem suas atividades, sob pena de multa máxima de R$ 600 mil, mas o sindicato da categoria votou em assembleia na quarta (21) pela continuidade da greve, que já ultrapassa 100 dias.

De acordo com o governo mineiro, o número de escolas totalmente paralisadas vem caindo ao longo dos últimos dias. Segundo levantamento, na quinta feira da semana passada (15) havia 45 escolas totalmente paradas. Hoje, este número é de 11 escolas, representando 0,29% do total da rede pública, que possui 3.779. “Como era de se esperar as pessoas têm bom senso, respeitam a ordem judicial e estão retornando. A greve é concentrada na região de Belo Horizonte. Continuamos com a contratação dos professores designados para fazer as substituições porque, como eu tenho dito, o nosso foco é colocar professores para os alunos em sala de aula”, afirmou a secretária de Educação, Ana Lúcia Gazzola.

Na quarta (21), a secretaria estadual de Educação publicou uma resolução convocando os professores designados a voltarem às aulas. De 183.246 cargos de professores (alguns ocupam mais de um cargo, mas a secretaria não possui o número exato de professores), 46.248 são designados, ou seja, possuem um contrato e, sem serem concursados, não têm estabilidade no emprego. Não se sabe quantos dos ainda mais de 10 mil em greve são designados. O governo ameaça “tomar medidas cabíveis” se os designados não voltarem. Entre as medidas, informou a assessoria de imprensa da secretaria, está a rescisão de contratos.

Enem na mira

O governo tomou algumas medidas para minimizar os impactos da greve aos alunos que farão a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Durante a programação da rede de televisão estatal, a Rede Minas, são exibidos programas com conteúdos a serem abordados no exame. Além disso, o governo estadual firmou parceria com o Instituto Enfil, uma organização não governamental (ONG) paulista, que elaborou o curso “Enem na sua Comunidade”. A teleaula pode ser acessada pela internet nos 84 centros vocacionais tecnológicos (CVT´s), que são espaços onde a comunidade escolar acessa gratuitamente a internet. O conteúdo também é exibido nas próprias escolas e dúvidas podem ser tiradas por email.

O Enem ocorre nos dias 22 e 23 de outubro e a teleaula será exibida até o dia 21. Ela aborda 30 competências das quatro áreas de conhecimento cobradas pelo Ministério da Educação (MEC) no ENEM: “Linguagens, Códigos e suas tecnologias”; “Matemática e suas tecnologias”; “Ciências Humanas e suas tecnologias” e “Ciências da Natureza e suas tecnologias”.

    Leia tudo sobre: enem 2010enemescolasgreve de professores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG