Cientista registra raríssimo fenômeno elétrico sobre a Espanha

No último dia 5 de junho, cientistas europeus registraram novamente um dos mais raros e intrigantes fenômenos elétricos que ocorrem em nossa atmosfera. Alguns os descrevem como similares a fogos de artifício, outros como luzes dançantes ou chuveiros de raios. Tecnicamente, o fenômeno é chamado de sprite e quando são realmente muito grandes recebem o portentoso nome de Gigantic Jets.

Apolo11 |

Apesar dos sprites (ou gigantic jets) terem sido vistos algumas vezes no século passado, os cientistas atmosféricos só reconheceram sua existência após 1989, quando também foram fotografados pelas câmeras a bordo dos ônibus espaciais. Atualmente, devido à grande quantidade de câmeras de alta sensibilidade e maior interesse em sua observação, o registro dos sprites tem ocorrido com maior frequência.

A foto acima foi registrada pelo cientista Oscar Van der Velde, cientista atmosférico ligado ao Laboratório de Aerologia da Universidade Paul Sabatier, na França, que fotografou o evento da janela de seu laboratório em Sant Vicenç de Castellet, na Espanha. "Captei a cena com uma câmera ultra sensível instalada no parapeito da janela. A câmera estava acoplada ao software UFOCapture, que dispara quando ocorre algum evento no céu, como meteoros ou relâmpagos", explicou o cientista.

Apesar de parecer simples, Van der Velde levou mais de 400 dias para registrar o fenômeno. Segundo o pesquisador, o sprite ocorreu a 250 quilômetros de distância da câmera, próximo à costa da França, entre 75 e 100 quilômetros de altitude.

Gigantic Jets

"Devido a altura em que ocorrem, os sprites são um verdadeiro fenômeno meteorológico espacial. Eles se desenvolvem a cerca de 80 km e altitude e crescem em todos os sentidos, inicialmente para baixo e em seguida para cima. Eles acontecem quando um poderoso raio descarrega a energia do topo das nuvens próximas à superfície da Terra em direção à ionosfera, resultando no sprite (faísca, em inglês). Todo o processo não leva mais de 20 milissegundo e quando os raios são muito grandes são chamado de gigantic jets (jatos gigantescos), descargas elétricas gigantescas, poderosas e extremamente raras.

Raríssimos

Os gigantics jets são tão raros que a maioria das pessoas provavelmente nunca presenciou um deles. De acordo com Van der Velde, a primeira vez que o fenômeno foi observado foi no ano de 2001 em Porto Rico, pelo pesquisador Victor Pasko. A partir de então, até 2007 apenas 30 ocorrências foram registradas em todo o mundo, a maioria delas em alto-mar. Apenas duas foram registradas em áreas continentais e até 2007 nunca havia sido observado nos EUA.

Veja também:

 - Astrônomo amador capta imagem de raríssimo fenômeno atmosférico


Fotos: No topo, gigantic jet registrado sobre Zaragosa, na Espanha, em 1 de maio de 2009. Acima, fenômeno registrado em 5 de junho próximo à costa da França, entre 75 e 100 quilômetros de altitude. Crédito: Oscar Van der Velde/Spaceweather.


Leia mais sobre: Fenômeno elétrico

    Leia tudo sobre: apolo 11fenômeno elétrico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG