Ciência em ação

Facilitar o aprendizado da física básica entre alunos dos ensinos médio e fundamental por meio de experimentos simples e de fácil compreensão e, ao mesmo tempo, estimular o raciocínio científico com atividades mais complexas.

Redação com Agência Fapesp |

Essa é a proposta do Ação Ciência, projeto de extensão universitária do Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Trata-se de uma iniciativa que começou em 2008 e que promove encontros periódicos em escolas e centros de ciência, onde os tutores da visitação são alunos da própria universidade.

A segunda edição do projeto foi realizada no mês passado no Centro Cultural de Inclusão e Integração Social da Unicamp, na região central de Campinas, no interior paulista. A terceira edição do encontro ocorrerá em outubro no mesmo local.

Com o projeto, pretendemos incentivar a criação de um dia dedicado exclusivamente à ciência e tecnologia em Campinas, disse um dos coordenadores do Ação Ciência e graduando do IFGW, Diego Pontes Cambra, à Agência FAPESP. O projeto é orientado pelo professor Ennio Peres da Silva, do Departamento de Física Aplicada do IFGW.

A programação inclui experimentos simples e complexos. Em um primeiro momento os universitários apresentam experimentos de fácil compreensão ao público, visando à fixação de conteúdos a partir de explicações teóricas sobre conceitos observados.

Nessa etapa a intenção é despertar a curiosidade para os ensinamentos apresentados e estimular estudantes a seguir carreiras científicas e tecnológicas, disse Cambra, que também é pesquisador do Laboratório de Hidrogênio da Unicamp.

Em seguida são apresentados experimentos mais elaborados, que envolvem dois ou mais conceitos físicos distintos a fim de fazer com que os alunos montem suas próprias teorias para explicá-los, incentivando o raciocínio lógico e investigativo a respeito das hipóteses e resultados obtidos.

O projeto já conseguiu atingir cerca de 400 alunos do ensino básico, que tiveram acesso a 30 experimentos de física em áreas como eletricidade, magnetismo, estática, mecânica e supercondutividade, contou Cambra.

Outra coordenadora da iniciativa, Natacha Calazans do Nascimento, estudante de Engenharia Elétrica na Unicamp, explica que o projeto de extensão foi desenvolvido com base em dados recentes divulgados pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) que apontam que a escassez de professores de ciências no Brasil chega perto de 100 mil profissionais.

Sabendo que o ensino de física está deficitário no Brasil, o que vem sendo comprovado por pesquisas e estatísticas de diferentes fontes, resolvemos criar um projeto que ajudasse os alunos a aprender física com gosto. Em algumas escolas do país professores de outras áreas, como a biologia, têm que dar aulas de física no ensino médio devido à falta de profissionais, disse.

Participam ainda os alunos de graduação Mateus Fioresi, o coordenador pedagógico, e Marcos Cardoso Santini , que coordena a área de logística. O Ação Ciência é financiado pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Unicamp e pela Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL).

Mais informações no site da Unicamp

Leia mais sobre: Ciência

    Leia tudo sobre: ciênciafísicaunicamp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG