Carreiras valorizadas também estão entre os preteridos

Engenharias e jornalismo também aparecem na lista dos cursos com menos candidatos inscritos no SiSU

Priscilla Borges, iG Brasília |

Não só os cursos de licenciatura e os que exigem habilidades específicas ¿ graduações que também não figuram entre os queridinhos nos vestibulares tradicionais ¿ estão na lista dos menos disputados no Sistema de Seleção Unificada (SiSU) do Ministério da Educação. Entre os 52 cursos que tiveram menos de 100 candidatos inscritos, estão carreiras geralmente bastante cobiçadas pelos vestibulandos, como Engenharias e Jornalismo.

O curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Tocantins (UFT), por exemplo, recebeu 98 inscrições. Ao todo, 10 vagas foram oferecidas pelo SiSU. Isso significa dizer que cada vaga é disputada por 9,8 candidatos. O mesmo curso no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia teve 2.251 candidatos, que concorrem a 27 vagas.

Na opinião da presidente da Comissão Permanente de Seleção da UFT, Maria Dilma de Lima, o fato de o curso ser novo na instituição justifica o menor interesse. A demanda tende a ser baixa quando o curso ainda está em consolidação, pondera. Engenharia biotecnológica, outro graduação nova da universidade, teve ainda menos interessados: 90 para 10 vagas. Nesse caso, Maria Dilma acredita que a distância da capital afastou os interessados. O curso é oferecido no campus de Gurupi, no interior do estado.

Outros três cursos de Engenharia e o de Jornalismo, todos oferecidos pela Universidade Federal de Rondônia (Unir), também possuem menos de 90 candidatos inscritos. As habilitações ¿ Elétrica, de Pesca e Aqüicultura e de Produção Agroindustrial ¿ também são novidades para os candidatos da instituição. São áreas novas e oferecemos poucas vagas. Ainda assim, a procura foi boa. Estamos otimistas com isso, garante a vice-reitora da Unir, Ivonete Tamboril.

Estímulo futuro
Muitos dirigentes se surpreenderam com o grande interesse demonstrado pelos estudantes brasileiros nas vagas distribuídas pelo Sistema de Seleção Unificada do MEC. Para concorrer às 47,9 mil vagas, todos os candidatos precisavam ter feito as prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aplicado em dezembro. Com receio de que as provas não fossem seletivas o suficiente ou que o sistema não funcionasse, muitas universidades ofereceram poucas vagas pelo sistema.

É o caso da Unir, que só colocou 10% do total de 2.750 vagas disponíveis na concorrência do SiSU. A instituição recebeu 7 mil inscritos para elas. A Universidade Federal de São João Del-rei, em Minas Gerais, também reservou apenas 10% das vagas para a seleção unificada e recebeu um total de 9.231 inscrições.

Os resultados podem alterar a disposição de participar da experiência nas próximas edições, garantem os reitores. Pela procura, achamos que selecionaremos alunos muito bons. Imagino que a tendência do conselho será optar por aumentar as vagas no SiSU, comenta Helvécio Luiz Reis, reitor da UFSJ.

Maria Dilma de Lima, presidente da Comissão Permanente de Seleção da UFT, também aposta que o SiSU permitirá um aprimoramento da seleção dos candidatos para instituições de todas as regiões do país. Ela acredita que, desse modo, os bons alunos não se concentrarão em seus estados de origem.

Leia mais sobre vestibular

    Leia tudo sobre: candidato/vagacandidaturaseneminscriçõessisu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG