Capes e CNPq liberam acúmulo de bolsas com atividades remuneradas

Portaria publicada no Diário Oficial nesta sexta estabelece regras para pesquisadores buscarem rendas extras

iG Brasília |

Uma portaria conjunta da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico Tecnológico (CNPq) muda regras que beneficiam os pesquisadores bolsistas do País.

Os bolsistas matriculados em programas de pós-graduação do Brasil poderão, a partir de agora, receber complementação financeira de outras fontes, desde que se dediquem a atividades relacionadas à sua área de atuação e de interesse para sua formação acadêmica, científica e tecnológica. Eles só não poderão acumular bolsas das agências públicas de fomento.

As agências pretendem estimular, especialmente, a formação de futuros docentes, que poderão dar aulas ao mesmo tempo que recebem bolsas de pesquisa. Os pesquisadores beneficiados com bolsas devem obter autorização do orientador para receber a renda extra - que deve ser informada à coordenação do curso ou programa de pós-graduação em que estiver matriculado e registrada no Cadastro Discente da Capes.

Quem desrespeitar as regras estabelecidas pela portaria, publicada no Diário Oficial da Unidão desta sexta-feira, poderá ter de devolver à CAPES ou ao CNPq os valores recebidos pelas bolsas de pesquisa.

    Leia tudo sobre: educaçãopesquisabolsascnpqcapes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG